Reforma na Praça Roosevelt vai limitar espaço de skatistas
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Reforma na Praça Roosevelt vai limitar espaço de skatistas

Diego Zanchetta

29 Setembro 2014 | 13h00

A Praça Roosevelt, no centro paulistano, vai receber um novo pacote de obras que inclui a criação de um espaço delimitado para os skatistas e melhorias na acessibilidade para pedestres e deficientes. Os skatistas, que hoje tomam conta de quase toda a área de 18 mil metros quadrados, vão ficar concentrados em um espaço reduzido com 1.152 metros quadrados, onde também serão instaladas cinco novas rampas para a prática do esporte e bancos metálicos próprios para manobras.

O espaço dos skatistas será chamado de “Skate Plaza”, conforme projeto da São Paulo Obras (SPObras). A licitação para as novas obras foi aberta na sexta-feira pela gestão do prefeito Fernando Haddad (PT). Na reforma todos os bancos de madeira danificados da praça serão reformados, assim como a guarita da Guarda-Civil Metropolitana (GCM).

O espaço exclusivo para os skatistas também terá o piso tátil trocado por um próprio para a prática do esporte. “No espaço para eles (skatistas) também vamos colocar corrimões próprios para as manobras, para evitar as quedas comuns hoje por lá. E os bancos de madeira vão ser substituídos por bancos metálicos, também próprios para as manobras dos skatistas”, afirmou a Sandra Soares de Oliveira arquiteta de SPOBras responsável pelo projeto da reforma, orçado em cerca de R$ 1,5 milhão.

O governo municipal adiantou que os skatistas não poderão mais usar todo o espaço da praça. “Eles estão no espaço inteiro, mas já existem placas informando que é proibido na praça inteira. Por isso vamos fazer um espaço pensado para eles, com rampas e piso próprios para o esporte”, acrescentou a arquiteta. “E o restante da praça poderá ser ocupado por toda a comunidade.”

A praça, localizada ao lado do recente pólo cultural que se formou na região conhecida como Baixo Augusta, também vai ganhar sinalização para deficientes visuais. “A calçada da Rua Guimarães Rosa será integrada à praça. E na parte dos teatros haverá um rebaixamento das guias, criando uma rota acessível para cadeirantes”, explicou a arquiteta. Ela disse que, a partir da contratação da empresa (o que deve ocorrer até dezembro) as obras da reforma devem durar 6 meses.

REINAUGURAÇÃO

A nova reforma ocorre exatos dois anos após a reinauguração da praça, ocorrida em 29 de setembro de 2012, durante a gestão do ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD). Com 200 árvores, o local ganhou novos ambientes com pisos ecológicos, cobertos por flores de cores variadas, iluminação especial e até um “cachorródromo”, área verde dedicada aos animais de estimação. A intervenção que durou dois anos e custou R$ 55 milhões.

Mas hoje existe reclamações de moradores da região e de usuários de que os skatistas tomam conta de todo o espaço, sem permitir que outras pessoas possam ficar no meio da praça. Os moradores do entorno reclamam não poderem usar a praça, o dia todo lotada de skatistas que fazem manobras nos bancos, guias e nas escadarias. Apesar de a prática do skate ser vetada após as 23 horas, jovens costumam passar a madrugada andando no local, principalmente aos finais de semana.

Serão construídas também obras de acessibilidade para facilitar o acesso de pedestres pelas ruas Martinho Prado e Guimarães Rosa.

Veja como vai ficar a praça após a reforma aqui:

http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/infraestrutura/sp_obras/arquivos/obras_complementares_pca_roosevelt.pdf

 

O espaço exclusivo para os skatistas, que terá 1.152 metros quadrados; reforma também prevê novas rotas acessíveis a deficientes

 

 

Mais conteúdo sobre:

HaddadPraça Rooseveltskatistas