PSB na gestão Haddad: Callegari fica; Eliseu sai
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

PSB na gestão Haddad: Callegari fica; Eliseu sai

Diego Zanchetta

29 Novembro 2013 | 12h28

O secretário municipal da Educação, César Callegari, vai se desfiliar do PSB para seguir na gestão Fernando Haddad (PT). Homem de confiança do prefeito e à frente da construção de 14 novos Centros Educacionais Unificados (CEUs), Callegari decidiu não seguir a orientação da direção nacional do partido – como vai ter candidatura própria à presidência em 2014, a sigla pediu para seus filiados deixarem cargos comissionados em gestões petistas.

Callegari já acompanhava Haddad em Brasília como secretário de Educação Básica do Ministério da Educação (MEC). Hoje é um dos secretários mais próximos do prefeito. Ontem à noite, em ato do PT no centro de São Paulo a favor do vereador e ex-secretário de governo Antonio Donato, investigado sob suspeita de enriquecimento ilícito, Haddad disse em seu discurso que um dos principais projetos de sua gestão é “a construção dos CEUs do Callegari.”

Por outro lado, Eliseu Gabriel, secretário de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho, vai deixar o governo para ser candidato a deputado federal em 2014. Ele também é vereador pelo PSB. “Não posso também descumprir uma decisão tomada por todo o conjunto do partido”, argumentou Gabriel ao Estado.

Gabriel também vai deixar a presidência do diretório municipal do PSB, que deve ser assumido pelo ex-tucano Walter Feldmann, recém-filiado ao partido. O PSB vai lançar Eduardo Campos para a presidência em 2014, com a ex-senadora petista Marina Silva de vice.

Outro secretário que vai deixar de disputar as eleições de 2014 para seguir na gestão Haddad é o titular da pasta de Transportes, Jilmar Tatto (PT), deputado federal licenciado. Tatto tem a missão de construir 150 quilômetros de corredores de ônibus até 2016, uma das bandeiras de Haddad.

 

Eliseu Gabriel (PSB) vai cumprir orientação do partido e deixará gestão Haddad. Ele deve ser candidato a deputado federal.

Mais conteúdo sobre:

eleições 2014HaddadPSB