Haddad revê até contrato do cafezinho deixado por Kassab
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Haddad revê até contrato do cafezinho deixado por Kassab

Diego Zanchetta

09 Maio 2013 | 18h52

O secretário municipal de Desenvolvimento Urbano, Fernando de Mello Franco, reduziu de 7.000 para 6.300 as doses de cafezinhos servidas na pasta, onde trabalham cerca de 300 funcionários. Pelo contrato feito em 2009 com a Brasvending Comercial, era uma média mensal de 23,3 cafezinhos por funcionário. Com a redução do valor de R$ 3.710,00 para R$ 3.339,00, serão agora ‘apenas’ 6.300 doses por mês na secretaria.

Em silêncio, a gestão Fernando Haddad (PT) tem revisto a maior parte dos contratos herdados do prefeito Gilberto Kassab (PSD). Mas o corte em eventuais ‘gorduras’ ou a anulação de licitações suspeitas não devem ser propagadas ou alardeadas pelos secretários, conforme orientação da cúpula petista.

Na semana passada, Haddad anulou uma licitação de R$ 7 milhões herdada de Kassab, sob suspeita de direcionamento. O prefeito, com seu PSD cada vez mais alinhado ao governo federal, criticou a suspensão da concorrência, que visava comprar câmeras de segurança para a região central. Foi um sinal claro de que o ex-prefeito não vai tolerar “fogo amigo” do PT contra a sua gestão.

 


 Menos cafezinho na Prefeitura: ordem é reduzir valor dos contratos deixados por Kassab