Entidade ligada ao PT vai comandar a construção de 500 moradias em SP
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Entidade ligada ao PT vai comandar a construção de 500 moradias em SP

Diego Zanchetta

10 de junho de 2014 | 13h06

Entidade com ligação histórica com o PT, a Associação dos Trabalhadores Sem-Teto das Zona Noroeste e Oeste vai gerenciar a construção de 500 moradias de um empreendimento do programa Minha Casa Minha Vida que será erguido em Pirituba, na zona oeste de São Paulo. Quem comanda a entidade hoje são os petistas José de Abrão e Donizete Fernandes. Até o ano passado sua presidente era Vera Eunice Rodrigues, líder sem-teto que assumiu cargo comissionado na Cohab e que foi candidata a vereadora pelo PT em 2012 – ela recebeu 20.190 votos e não foi eleita.

O empreendimento em Pirituba vai ter 1.140 unidades, das quais 500 serão financiadas pelo Minha Casa Minha Vida/Entidades, conforme acordo assinado na última quinta-feira entre o prefeito Fernando Haddad (PT) e a ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior (foto abaixo). Quem vai receber o dinheiro do governo federal para gerenciar a construção dessas 500 casas será a associação de sem-teto da zona oeste, que nega privilegiar filiados ao partido na escolha dos beneficiários dos imóveis.

Um dos critérios para a escolha dos futuros mutuários adotados pela entidade, porém, é a participação em protestos e em atos da entidade. Desde 2009 a entidade já recebeu R$ 21,9 milhões para erguer conjuntos do programa do governo federal. Na sede da entidade, na Barra Funda, adesivos do PT estão colados nas janelas de quase todos os cômodos do imóvel, um sobrado da década de 1940.

O empreendimento na Vila Clarice, em Pirituba, vai ficar em um terreno de 136 mil metros quadrados que pertencia à União. Os governos municipal e federal negam beneficiar entidades de sem-teto por seu vínculo partidário e afirmam que qualquer movimento de moradia pode tentar o credenciamento do Minha Casa Minha Vida/Entidades para construir imóveis do programa.

Vera Eunice e Donizete, os líderes da entidade que vai gerenciar a construção das 500 casas em Pirituba, comandaram as invasões em prédios da região central ocorridas a partir de outubro de 2012, ainda durante a gestão do ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD). A Associação dos Sem-Teto da Zona Oeste e Noroeste também promoveu no ano passado manifestações na frente da casa do prefeito Fernando Haddad (PT), pressionando por mais terrenos para a construção de conjuntos populares.

Ontem o governo federal e a Prefeitura também fecharam acordo com o Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MSTS) para a construção de 2 mil moradias onde hoje está a Ocupação Copa do Povo, em Itaquera, na zona leste. Após o anúncio do acordo a entidade, que havia protagonizado os maiores protestos da cidade nos últimos três meses, anunciou trégua dos atos durante a Copa do Mundo. A construção das moradias em Itaquera será feita por meio de uma parceria entre a Construtora Viver, dona do terreno ocupado pelas famílias no início de maio, e o MTST.

 

Haddad durante anúncio de parceria com o governo federal para a construção de empreendimento do Minha Casa Minha Vida em Pirituba, na zona oeste

Tudo o que sabemos sobre:

HaddadMinha Casa Minha Vidasem-teto

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.