Com maior agenda em gabinete, Haddad reduz uso de helicóptero
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Com maior agenda em gabinete, Haddad reduz uso de helicóptero

Diego Zanchetta

09 de agosto de 2013 | 11h48

COM ARTUR RODRIGUES

A economia nas contas da capital paulista chegou a um dos símbolos de poder do prefeito, o helicóptero. O atual prefeito Fernando Haddad (PT) voou bem menos que seu antecessor, Gilberto Kassab (PSD).

No primeiro semestre, segundo informações da Prefeitura, Haddad fez 62 voos, um total de 18,8 horas. No mesmo período do ano passado, Kassab fez 219 voos, 68,3 horas. Comparando as horas de voo, a diminuição é de 72%.

A economia é favorecida não só pela preocupação com gastos como também pelo estilo de governo de cada um. Enquanto Kassab tinha várias agendas externas por dia visitando obras e rodando a cidade, Haddad fica mais no gabinete, organizando encontros dentro da Prefeitura.

A diferença nos gastos é grande. Em uma época de corte de 20% nos contratos e de escândalos envolvendo helicóptero, o atual prefeito praticamente só utilizou o Helicóptero Águia, da Polícia Militar. Pelo convênio, a administração pode utilizar a aeronave até quatro vezes por semana sem custo. Fora da parceria, Haddad fez 5 voos, um total de uma hora e vinte minutos.

Já o ex-prefeito Kassab fez 77 voos, totalizando 18,9 horas fora do convênio com o Águia.

Em 2009, Kassab gastou R$ 569 mil e no ano seguinte, R$ 642 mil. Na época, a empresa contratada era a Reali Táxi Aéreo. Nos anos seguintes, com a empresa Helimarte Táxi Aéreo, os gastos diminuíram. Em 2011, foram 395 mil. No ano passado, R$ 274 mil.

Apesar da queda, o gasto atinge R$ 1,8 milhão, o que daria para comprar 69 carros Gol 1.0 ou para construir duas Unidades Básicas de Saúde (UBSs).

Por meio de sua assessoria de imprensa, o ex-prefeito afirma que o uso da aeronave foi proporcional à necessidade de deslocamentos para cumprir a agenda diária. “Como é de conhecimento público, o ex-prefeito Gilberto Kassab cumpria agenda externa todos os dias vistoriando e entregando obras, muitas vezes mais de uma vez ao dia, inclusive em feriados e fins de semana”, afirma a nota.

Além disso, Kassab afirma que usava a aeronava para fazer sobrevoos técnicos, como fez várias vezes no Jardim Pantanal, na zona leste, bairro assolado pelas enchentes. Kassab afirma também que foi dele a iniciativa de tornar públicos os dados de voo do prefeito.

Recentemente, para economizar, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou que venderia um dos dois helicópteros do Estado. No ano passado, o uso do equipamento para buscar parentes no Aeroporto de Guarulhos. Ele alegou que tinha direito de usar a aeronave para esse fim.

No Rio, o Ministério Público abriu investigação para averiguar se o governador Sérgio Cabral (PMDB) usava o equipamento para fins particulares.

Helicóptero pousa na Prefeitura de São Paulo

 

Tudo o que sabemos sobre:

helicóptero

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.