As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Santos Dumont, camarão com quiabo e cervejinha

Pablo Pereira

21 de julho de 2010 | 14h08

 Outro dia, por conta de post sobre o pedaço paulistano de Alberto Santos Dumont, conheci o livro “As glórias, a luta e o martírio de Santos Dumont”, do jornalista e escritor Fernando Jorge, pela Geração Editorial. Há lá informações deliciosas sobre a vida do pai da aviação.

 O homem gostava de camarão com quiabo, só dormia no escuro absoluto, era de poucas palavras, gostava de uma cervejinha e tinha paixão por um chapéu panamá, de abas caídas. E foi o inventor da corrida de triciclos na França.

 O livro reproduz a espantosa fotografia (abaixo), tirada em campo francês, que mostra a contribuição de um jumento para a odisseia espacial, puxando o 14 Bis. E contém ainda um curioso apêndice sobre erros comuns a respeito de Santos Dumont em biografias, dicionários e enciclopédias.

burrico cortado

Mais conteúdo sobre:

Santos Dumont