As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Post Scriptum

Pablo Pereira

21 Março 2010 | 09h47

Após o trabalhar e rezar, pão e doces

Aos prazeres da visão e da audição do Mosteiro de São Bento, pedaço do centro paulistano que se baseia no princípio de rezar e trabalhar (ora et labora), de Bento da Núrsia, pode ser acrescentado um outro, o do paladar (quase um pecado). É só dar uma passadinha na padaria dos monges, à esquerda da entrada da igreja. Pães, doces e compotas – de comer de joelhos -, produzidos no mosteiro, atraem gente da cidade e caravanas de turistas.
Em tempo: São Bento viveu de 480 a 547 (d.C). Foi ermitão em caverna, sofreu uma tentativa de envenenamento por outro monge e foi canonizado em 1220. É o santo das regras de vida.

(

)