As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

PF apreende dólares e euros na Operação Sépsis em Recife

Pablo Pereira

01 Julho 2016 | 16h51

A Polícia Federal deflagrou hoje a Operação Sépsis, nova fase da Operação Lava Jato, com ações para apurar corrupção na Caixa. Entre os suspeitos estão empresários de Recife. Pela manhã, agentes cumpriram três mandados de busca em endereços na praia de Boa Viagem e em Cabo de Santo Agostinho, onde fica a sede da empresa Cone S/A, ligada ao grupo Moura Dubeux. A PF coletou equipamentos eletrônicos e dinheiro nas casas dos empresários Marcos José Moura Dubeux, da Construtora Moura Dubeux, e do filho dele, Marcos Roberto de Mello Moura Dubeux, presidente da Cone S/A.

A operação movimentou 25 agentes e três procuradores federais, que participaram das buscas. Ninguém foi preso, mas a PF apreendeu 30 mil euros e US$ 53 mil dólares que estavam nos endereços, além de computadores e documentos. A Cone é empresa ligada ao grupo da Construtora Moura Dubeux e opera com investidores próprios e também com o Fundo de Investimentos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FI-FGTS).

A Cone divulgou nota pela manhã.

“Comunicado Cone – Operação Lava Jato

 A empresa Cone S/A irá se manifestar quando tiver conhecimento de todo o conteúdo da denúncia. Neste momento, a companhia está à disposição das autoridades e colaborando para que todas as questões sejam esclarecidas o mais breve possível.”
 A assessoria da Moura Dubeux também enviou nota.
“A Moura Dubeux Engenharia informa que desde 2013 a empresa e nem nenhum dos seus sócios tem relação de investimento, sociedade, ou parceria com a Cone S/A.

O empresário Marcos Roberto Dubeux, filho de um dos sócios da Moura Dubeux, é o presidente da Cone S/A. Ele não faz parte da diretoria da construtora Moura Dubeux e não tem nenhuma relação de negócio com a construtora.”

 

Mais conteúdo sobre:

corrupção