As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Inteligência artificial (IA) avança no Brasil, diz pesquisa

Pablo Pereira

06 de março de 2021 | 14h54

Sabe aquela animação do rosto da Mona Lisa, a obra do Da Vinci, piscando e sorrindo, que o Link mostrou outro dia? Ou o movimento dos rostos dos pintores Rembrandt e Van Gogh? São exemplos do uso da inteligência artificial (IA) com imagens, prática inovadora criada por ferramentas de tecnologia fantásticas que estão revolucionando empreendimentos em serviços financeiros, comércio e marketing. Esse mercado aposta milhões de dólares no uso da IA pelo mundo. Um recente estudo das empresas everis e Endeavor sobre esse negócio na América Latina mostra que o Brasil quase dobrou participação no setor em dois anos, saltando de 120 empresas, em 2018, para 206 (2020).

“A adoção da Inteligência Artificial (IA) está em seu maior ponto de inflexão, com um mercado previsto de US$ 70 bilhões”, diz relatório (veja o link abaixo), que analisa o setor com o foco na América Latina. O estudo explica que embora a região ainda esteja longe dos poderosos recursos aplicados em IA na América do Norte, Ásia e Europa, o interesse empresarial por aqui é crescente.

Lembram também daqueles drones sobrevoando lavouras?  Pois até na roça encontramos uso da IA. Pelo menos 5% deste mercado está na agricultura, informa o documento. Na liderança estão setores de software corporativo, com quase 40% do mercado; comércio, com 12%; seguido de saúde, marketing e serviços financeiros, com 7%.

O Brasil, com 42% do mercado, em 2020, lidera em IA na América Latina. O México, o segundo país que mais cresceu, passou de 34 empresas de IA (2018) para 97 empreendimentos no ano passado, compara o documento.

“Nossa análise indica que esse hub de empreendedores é formado por 490 empresas de inteligência artificial, que empregam mais de 38 mil pessoas, levantaram mais de US$ 2,2 bilhões de capital e faturaram mais de US$ 4,2 bilhões”, diz o relatório. O documento destaca também que o ambiente de isolamento social provocado pela pandemia da  covid-19 foi fator de impulsão da expansão no setor.

Mas a pesquisa contém um alerta. “Embora o crescimento e o futuro da IA sejam promissores, devemos ser cautelosos com os números”, afirma o relatório. “De 2018 a 2020, embora tenham sido fundadas 51 novas empresas de inteligência artificial, o estudo identificou um total de 66 empresas que fecharam as portas, representando 28% das 240 empresas identificadas em 2018, o que evidencia a dificuldade dos empreendedores se manterem no mercado.”

Confira aqui a pesquisa.

 

 

 

Tudo o que sabemos sobre:

inteligência artificialpesquisamercado

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.