Há 20 anos, dando o sangue pela ciência no interior da Amazônia
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Há 20 anos, dando o sangue pela ciência no interior da Amazônia

Pablo Pereira

11 Agosto 2016 | 22h58

Das catacumbas do ofício registrado no Acervo do Estadão. Reportagem nos levou em 1996 ao interior da Amazônia. À beira da Rodovia Transamazônica, em Itupiranga, no Pará, encontramos servidores públicos usando o próprio corpo para capturar mosquitos transmissores da malária. Nuvens do bicho para pesquisa com inseticidas. Ao anoitecer, os homens expunham as canelas – e o próprio fígado – ao Plasmodium falciparum dos anofelinos quando catavam, um a um, os mosquitos sedentos de sangue.

Iscas humanas abril de 1977

Mais conteúdo sobre:

CiênciaIsca humanamaláriamosquito