As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Filme sobre bispo do Araguaia será lançado até final do ano

Pablo Pereira

09 de julho de 2013 | 18h55

“Não é só uma grande e rica história. Descalço sobre a terra é um grande filme”. A afirmação é de Eugeni Sallent, diretor da TV 3, a TV da Catalunha, que participa da produção da minissérie sobre a vida do bispo de São Félix do Araguaia, Pedro Casaldáliga, de 85 anos.

Em entrevista em São Paulo, onde apresenta nesta quarta-feira, 10, o primeiro capítulo da minissérie na Cinemateca Brasileira (Vila Clementino), Sallent destaca a participação de atores brasileiros (Babu Santana e Eduardo Magalhães)  na obra dirigida por Oriel Ferrer, baseada em biografia de mesmo título escrita pelo jornalista e produtor de cinema Francesc Escribano, diretor da produtora Minoria Absoluta, de Barcelona.

.

.

O ator catalão Eduardo Fernández (A pele que habito) interpreta dom Pedro Casaldáliga. O também catalão Sergi López (A pele que habito, Partir)  faz o então cardeal Joseph Ratzinger, que depois foi eleito papa Bento 16. A partir de tenso encontro entre o bispo, que no Brasil se transformou no principal ícone da Teologia da Libertação nos anos 70 e 80, e Ratzinger, encarregado pelo Vaticano de aplicar-lhe pena de censura,  o filme reconstrói os primeiros anos do missionário católico no interior brasileiro.

Militante das causas indígena, de colonos, de peões, ele chegou ao Brasil em 1968. Depois de sofrer ameaças de expulsão durante o período da ditadura militar, acusado de esquerdista, comunista, e de ser ameaçado de morte por fazendeiros e posseiros no Mato Grosso, o bispo de São Félix vive até hoje na cidade.

.

.

Com a saúde debilitada, não quer deixar o lugar. E costuma dizer que quer ser enterrado no velho cemitério de São Félix, à beira do Rio Araguaia, onde há vítimas da injustiça social, pistolagem, ausência do Estado. Mesmo sem nacionalidade brasileira, nascido perto de Barcelona, ele se considera da terra que escolheu para pregar.

Há anos, quando o então presidente Lula disse que ficaria muito contente quando lhe desse cidadania brasileira, o velho bispo respondeu que aceitava – mas condicionou o recebimento da “distinção” ao momento no qual o líder petista fizesse a “reforma agrária” no país.

Continua catalão.

.

 

Veja aqui o vídeo (em catalão) sobre a pré-estreia em São Paulo, com a presença do presidente da Catalunha, Artur Mas.

 

Tudo o que sabemos sobre:

catalãoPedro CasaldáligaRatzinger

Tendências: