Ex-sem-teto, aposentado mantém rotina de militância
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Ex-sem-teto, aposentado mantém rotina de militância

Pablo Pereira

27 de dezembro de 2015 | 19h16

Condomínio João Cândido, do MTST, em Taboão da Serra, construído pelo Minha Casa Minha Vida Entidades / Fotos de Sergio Castro/Estadão

 

O aposentado José Ferreira da Silva, de 67 anos, não se cansa de agradecer a conquista de um apartamento no condomínio João Cândido, no Jardim Salete. “É um presente”, diz seu Ferreirinha, como é conhecido no MTST. Morando com a mulher, Maria Costa Gomes, de 70 anos, em um apartamento de 63 metros quadrados, assoalho de lajotas brancas, portas adaptadas para eventual necessidade especiais, com três dormitórios, sala, cozinha, área de serviço, sacadinha em prédio com elevador, em Taboão, Ferreirinha lembra que passou “dez anos” à espera da casa nova vivendo em acampamento e em casa alugada “apertadinha”.
 
SCA

José Ferreira da Silva com a mulher, Maria, e a neta, Thalia

Feliz com o apartamento, ferrenho defensor do MTST, Ferreirinha costuma marcar presença em manifestações como um soldado do movimento. Pernambucano de Palmares, é ligado ao MTST desde o acampamento Chico Mendes, no Taboão, ocupação de terra de setembro de 2005. A família paga uma mensalidade de R$ 38,00 pelo imóvel, mais R$ 7,00 de água, R$ 69,00 de luz e R$ 49,00 de gás.
SCA

Um dos três quartos do apartamento de 63 m2 do condomínio João Cândido

 “A gente morava de aluguel em dois quartos apertadinhos, sem conforto”, conta a mulher, mostrando o banheiro com box novinho e chuveiro elétrico.

Vizinha de Ferreirinha e Maria, Silvana de Jesus Oliveira, de 36 anos, cria 3 dos 7 filhos em um apartamento do mesmo tamanho.

SCA

Dona de casa Silvana de Jesus Oliveira no apartamento de três quartos

 “Aqui o que está faltando é escola e posto de saúde por perto”, disse. “O resto está muito bom”, completou.
SCA

João Vieira Alves, aposentado, em seu apartamento de dois  quartos

Em um apartamento de 2 quartos, com 54 metros quadrados, o vigilante aposentado João Vieira Alves, de 50 anos, é outro entusiasmado sem-teto com teto. Ele recebeu o imóvel em março. Solteiro, militante do MTST assumido, disse que agora “só falta arranjar a encrenca”, referindo-se a uma namorada. “A casa, já tenho”, declarou.
.

Mais conteúdo sobre:

MTST