As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Em política nada é impossível

Pablo Pereira

07 de setembro de 2012 | 21h20

Em política não se deve usar a palavra “impossível”. Essa é uma das leis do jogo desse mundo tão peculiar dos que lutam para ter o poder de comandar. Ao contrário: em política tudo é possível.

Porém, quem acompanha a vida dos comitês de campanha política partidária em campanha em São Paulo sabe que na militância na cidade nessas épocas de eleição há comportamentos que beiram à idolatria. Muita gente veste camisa partidária para ganhar algum. Muitos participam por interesses outros. Mas todos, no fundo, estão tentando evitar que o adversário lhes tire a oportunidade de se aproximar do poder e de tudo que vem pendurado nele.

E neste ambiente há um local que é sagrado, o comitê de campanha. Ali adversários políticos se transformam em inimigos. É um lugar inviolável, quase como se fosse a casa de uma proposta de vida, um reduto a ser defendido de qualquer ameaça até de cores estranhas.

Há muitos anos São Paulo tem pelo menos duas correntes políticas que se enfrentam com momentos de forte tensão, e até agressividade. Gente que não se bica, mesmo! São petistas e malufistas. Quem não se lembra das batalhas para a tentativa de cassação da então prefeita Luiza Erundina, hoje no PSB, na Câmara dos Vereadores? Ela própria se negando a ser vice na chapa de Fernando Haddad? E das brigas de Paulo Maluf com Marta Suplicy? Um malufista encara um petista, e vice-versa, como alguma coisa difícil de engolir.

Mas, desde que o ex-presidente Lula entrou na campanha municipal ao lado de Paulo Maluf ocorrem coisas estranhas. Pelo menos nas aparências. No particular, os adeptos de cada uma das correntes gostaria mesmo era de pular – politicamente, quero dizer – na garganta do outro.

Mas já que os chefes fecharam por cima, confirmando aquela regra básica lá do início do texto, é possível se ver hoje cenas que até pouco tempo eram improváveis: um comitê malufista com material de campanha em vermelho, com o 13 do PT, em destaque, ao lado de manuais, cartilhas e santinhos de candidatos malufistas. Tudo exposto sobre um balcão dentro da sede do Partido Progressista, de Paulo Maluf, no Bixiga!

Quem diria… Realmente, em política, nada é impossível.

 

Mais conteúdo sobre:

PolíticaSão Paulo