As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

E os vices, quem são?

Pablo Pereira

16 de novembro de 2020 | 10h50

Quando o eleitor brasileiro olha as opções de concorrentes políticos, normalmente não dá muita importância para os vices nas chapas. Mas as disputas eleitorais nacionais, estaduais e municipais nos últimos anos mostram que seria bom prestar atenção no vice. É posto relevante.

Vejamos: no Planalto, o vice-presidente general Hamilton Mourão, presença constante no imaginário das pessoas como eventual sucessor. Desde a campanha eleitoral que Mourão faz questão de ser não só um carregador de votos para sustentação da chapa, mas um avalista de governabilidade. Repetidas vezes o chefe do Executivo já teve de mostrar a Mourão o lugar de coadjuvante. E o general é encarregado de setores importantes da administração nacional, como o debate sobre a Amazônia e parte das relações internacionais do País. Normal. É do jogo.

No caso do governo estadual, então, essa condição do vice é bem conhecida. O ex-governador Geraldo Alckmin, um costumeiro postulante ao Planalto, fortaleceu-se no cargo e na vida pública bombado pela eleição como vice do tucano Mario Covas, como é sabido. Alckmin hoje é figura das grandes disputas nacionais.

Pois agora, 2020, na eleição para prefeito de São Paulo, mais uma vez, o fenômeno do número 2 que pode virar número 1 está presente na disputa entre o advogado e economista Bruno Covas Lopes (PSDB) e o filósofo e professor Guilherme Castro Boulos (PSOL), que passaram para o segundo turno neste domingo, 15. Covas, ele próprio um vice que virou prefeito a partir do voo maior de Doria, e Boulos, que já mostrou, em 2018, que também tem aspirações políticas elevadas.

Daqui a dois anos, a cidade de São Paulo pode ser novamente palco dessa condição política democrática tanto numa quanto na outra chapa. Então, neste segundo turno, seria bom o eleitor prestar atenção em quem está ali, na bica, de olho na vaga.

Bruno Covas tem de vice o vereador Ricardo Nunes.

Guilherme Boulos está abraçado com a ex-prefeita e atual deputada federal Luiza Erundina.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.