As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Daniel queria ser Daniel. E é

Pablo Pereira

08 de janeiro de 2012 | 10h57

Caía uma chuva de pedras no meio da tarde do sábado, em Higienópolis, bairro do Centro de São Paulo, quando começou a missa de sétimo dia da morte de Daniel Piza, na Igreja Santa Teresinha, rua Maranhão. Estavam lá a família, amigos, colegas e, tenho certeza, muitos leitores de Daniel. Todos tocados pela cerimônia que buscava um pouco de conforto para quem dele gostava.

Fica a imagem jovial, alegre, de Daniel – e sua obra, seja nos seus silenciosos amigos livros, seja em sua competente produção jornalística.

Daniel não queria ser Machado, que adorava, nem Francis, que o inspirava.

Daniel queria ser Daniel.

E é.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:

Daniel Pizamissa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: