As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Contato com a biodiversidade faz bem para a saúde, diz pesquisa

Pablo Pereira

08 de dezembro de 2020 | 09h14

Um estudo feito por grupo multidisciplinar de cientistas aponta que o contato das pessoas com a natureza pode melhorar a saúde. É uma crença é antiga pelo mundo e que foi examinada com a lupa da ciência para comprovação. Os pesquisadores constataram evidências de mudanças na pele, nos intestinos e em marcadores imunológicos do sangue de crianças observadas depois de terem sido expostas, por um período, ao contato com uma maior diversidade ambiental. Eles comparam os resultados obtidos com os parâmetros encontrados em outras crianças de hábitos mais urbanos.

Os indicadores sugerem que a exposição humana a um ambiente mais natural, como as florestas, muda para melhor os padrões do sistema imuno-regulatório e incentiva o organismo a adotar medidas profiláticas contra o risco de doenças. O grupo analisado no estudo foi  composto por crianças de creches urbanas.

Os detalhes estão no artigo científico “Biodiversity intervention enhances immune regulation and health-associated commensal microbiota among daycare children”, publicado em outubro e que está neste link: https://advances.sciencemag.org/content/6/42/eaba2578/tab-pdf.

É claro que neste excepcional tempo de isolamento social por causa da contaminação crescente da covid-19, as pessoas devem redobrar cuidados e evitar aglomerações até nos passeios. Os ingleses já estão vacinando, mas aqui as autoridades brigam pela paternidade da solução, ignorando as centenas diárias de mortes.

Sobre a busca pela vida na natureza, é preciso notar que o pressuposto da coisa é exatamente o de um contato maior com a praia, o mato ou a roça sempre em condições saudáveis, ou seja, com preservação de condições mínimas de convivência, sem excessos que possam causar acidentes.

Essas conclusões da pesquisa com as  crianças já servem para embasar práticas médicas destacadas por profissionais que há anos defendem o ar puro dos parques e ambientes afastados das áreas urbanas como reforço da resistência imunológica das pessoas. Como mostra reportagem que acaba de ser publicada no site do National Observer, publicação de Vancouver, na British Columbia, no Canadá, conectada com esses temas.

Tudo o que sabemos sobre:

ambientebiodiversidadesaúdepesquisa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.