As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

As delícias de Rosa e Rose

Pablo Pereira

26 de fevereiro de 2012 | 16h48


Outro dia, andei metido com uma leitura deliciosa: dois livros sobre culinária. Um, em português, “Machado de Assis relíquias culinárias”, da pesquisadora Rosa Belluzzo, verdadeiro documento sobre o gosto brasileiro do Século 19, com comidas assim: leitoa de leite à pururuca, bacalhau à lagareira, rabanada, sorvete de pitanga, quindins e pudim de laranja. Outro, em inglês, da norte-americana Rose Neeleman, com receitas de pão de queijo, cuzcuz, bolinho de arroz e – pudim de laranja!

Com as delícias de Machado, editado pela Unesp, Rosa Belluzzo ganhou prêmio Jabuti de Gastronomia no ano passado. Essas “Relíquias…” são, na verdade, uma aula sobre como (Mário Quintana tinha trauma dessa conjunção “como”, mas acho que aqui está bem colocada) se construiu o sabor nacional misturando carne e sangue de galinha com cachaça no Franguinho de Cabidela – que o pai da Academia adorava. E a famosa Canja de Galinha, que Pedro 2º tomava até nos intervalos do teatro. Uma beleza a pesquisa de Rosa Belluzzo!

O outro livro, “A taste of Brazil”, da pesquisadora norte-americana, não fica atrás. Madame Rose, de Utah, nos EUA, veio morar no Brasil em 1958 acompanhando o marido, Gary Neeleman, um jovem pregador mórmon em missão e  que logo se tornou jornalista, correspondente e diretor da United Press International (UPI).

Hoje ele é cônsul honorário do Brasil em sua cidade, Salt Lake City, e ajuda, de graça, a quebrar galhos de imigrantes brasileiros além de dedicar-se à pesquisa sobre a imigração de confederados para a amazônia. Em breve, o casal vai lançar livros sobre o tema, conforme já noticiou o caderno Sabático, de O Estado, dias atrás.

Durante a estada no Brasil, anos 50 e 60, Rose encontrou ingredientes e pratos que nunca tinha visto. Alimentou boa parte da família aqui, antes de retornar a seu país, e aprimorou o gosto pela cozinha local. Os Neeleman adoram pãozinho de queijo (Cheese rolls) e também o paulistano Virado (Miners’ beans), além de muitas outras delícias pouco conhecidas nos EUA.

Nas festas de Halloween, aquelas das morangas decoradas, eles costumam servir em casa um Frango na Moranga (Chicken baked in a pumpkin) que, garante Rose, até as crianças adoram. O livro foi editado pela Marco Editora (2007), em inglês, e faz o maior sucesso entre as famílias brasileiras que vivem na América porque traduz para as cozinheiras os nomes dos ingredientes.

Quem gosta de cozinhar tem nestes dois trabalhos as receitas de uma galinha caipira de dar água na boca: a Galinha Mourisca, de Rosa, que leva toucinho e vinho branco, e o Frango Caipira (Country chicken), de Rose, marinado no alho – e com tomates. Bom proveito!

.

 

 

 

Tudo o que sabemos sobre:

cozinha

Tendências: