A vida é mais do que nitidez
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A vida é mais do que nitidez

Pablo Pereira

22 Fevereiro 2010 | 15h56

Para quem gosta de história, bons personagens e fotografias de São Paulo, saiu o livro Metrópole, Hildegard Rosenthal. Publicado pelo Instituto Moreira Salles, é uma coletânea de fotos maravilhosas da fotógrafa Hildegard Rosenthal — que morreu em 1990 –, com textos de Maria Luiza Ferreira de Oliveira e Beatriz Bracher.

Nascida na Suíça, mas criada na Alemanha, Hildegard chegou a São Paulo em 1937. O livro é uma pérola da pesquisa e memória da cidade. As cenas de crianças e as imagens de artistas, como Alfredo Volpi e Lasar Segall, em plena produção, dão toque especial ao livro.

 Hildegard era a fotógrafa das sombras, das imagens sem nitidez.  “Se nós temos tudo nítido de frente para trás, não se vive”, diz em depoimento destacado pela historiadora Maria Luiza Ferreira de Oliveira na página 27.

Hildegard Rosenthal, autorretrato, 1940/Reprodução

Hildegard Rosenthal, autorretrato, 1940/Reprodução