Alimento para ratos de museu
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Alimento para ratos de museu

Pablo Pereira

20 Janeiro 2010 | 10h27

Quem é rato de museu, como este Garoa, que se diverte ao andar por acervos, arquivos e coleções em busca do passado, não pode deixar de conhecer o acervo digital do Arquivo Público do Estado de São Paulo, cujo endereço virtual está na Lista de Links aí ao lado. É uma jóia, renovada, que tem 250 mil páginas de documentos para consulta. 

Viaje no tempo navegando entre milhares de documentos importantíssimos para a memória brasileira e informações de fonte primária que ajudam a levar luz sobre a formação do jeito paulista de viver. É possível encontrar, por exemplo, dados sobre a população de São Paulo em 1765 nos originais da Lista da gente de São Paulo. O documento digitalizado pode facilitar a consulta sem os eventuais danos da manipulação de um objeto centenário, frágil, que precisa ser preservado. Um prato cheio.

Primeira página de censo de 1765 em São Paulo

Primeira página de censo de 1765 em São Paulo

Disponível também no Arquivo Público na web está ofício, de 1841, com relação de negros escravizados com seus nomes e respectivas marcas. Na coluna ao lado, o local do corpo das pessoas no qual podiam ser encontradas as marcas de seus proprietários, feitas com ferro em brasa.

Documento de 1841 com lista de negros e suas marcas

Documento de 1841 com lista de africanos e suas marcas