Na Vila Mariana carros são abandonados e buracos esquecidos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Na Vila Mariana carros são abandonados e buracos esquecidos

Marcel Naves

28 Julho 2016 | 18h01

Aviso da prefeitura não impede abandono de carro na av Bartolomeu de Gusmão.

Aviso da prefeitura não impede abandono de carro na av Bartolomeu de Gusmão.

Na rua Bartolomeu de Gusmão existem pelo menos dois carros abandonados há meses. Um deles, em noites de frio, é utilizado como abrigo para moradores de rua. O aviso ao dono do automóvel, visivelmente colado pela Prefeitura no para-brisa, serve apenas para reforçar o estado de abandono.

Mais adiante um outro veículo, já com os pneus murchos, também começa a dar sinais de que tenha sido “esquecido”. Nas duas situações, os moradores alegam que já fizeram inúmeras reclamações. Eles dizem que há meses aguardam um posicionamento da Prefeitura. Mas as queixas também dizem respeito à conservação dos passeios.

As calçadas estão esburacadas e, em muitos trechos, não existe sequer uma rampa de acesso para cadeirantes. Os idosos são os mais prejudicados.  Ao lado do marido de 88 anos, Margie relata que a situação nunca esteve tão ruim. “No meu tempo era tudo bonito, muito limpo, mas agora está tudo abandonado. A gente tem de usar a bengala direitinho, senão a gente cai”, afirma.

Os buracos das principais vias da região também incomodam. As ruas França Pinto e Dr. Neto Araújo são as que apresentam piores condições. Os consertos não são feitos de forma adequada provocando inúmeros desníveis.

Outra reclamação diz respeito ao mal cheiro provocado por uma água lançada na sarjeta do cruzamento das ruas Bartolomeu de Gusmão e Baltazar Lisboa. Comerciantes alegam que o problema  ocorre várias vezes ao dia sem qualquer fiscalização e tem origem em alguns condomínios do local.

Ao circular pela região notasse ainda que muitas árvores foram sumariamente cortadas. Os tocos, no entanto, não foram removidos e permanecem nas calçadas. Em um comunicado enviado por e-mail a Prefeitura afirmou que após vistoria na região fará as regularizações necessárias.

Leia abaixo a íntegra da nota encaminhada pela PMSP:

“A Subprefeitura Vila Mariana informa que o local será vistoriado no início da próxima semana e, constatada a denúncia, os veículos serão adesivados. Se, após o prazo de cinco dias úteis para a retirada, os veículos permanecerem na mesma situação, serão removidos ao pátio da subprefeitura. Em relação aos demais casos, a Subprefeitura realizará vistoria e se for de sua atribuição, incluirá os serviços na programação.
Quando constatada uma denúncia sobre carro abandonado, inicialmente, é afixada no automóvel uma notificação. Somente após cinco dias úteis da data da notificação, sem providências por parte do proprietário ou responsável do veículo, que o automóvel é considerado abandonado. Se depois desse prazo, o veículo permanecer na mesma situação, este é removido e encaminhado ao pátio da subprefeitura. Entretanto, para que este veículo seja removido, a Subprefeitura precisa seguir uma série de procedimentos legais e administrativos. Entre eles: verificar junto a demais órgãos competentes, como Polícia Militar e órgãos de trânsito (CET e DETRAN), se o veículo não tem relação com crime, sinistro ou furto ou, ainda, se não possui nenhum tipo de pendência judicial.
Vale lembrar que o abandono de veículos em vias públicas prevê sanções, de acordo com a Lei de Limpeza Urbana, que fixa multa, no valor aproximado de R$ 17 mil. Além disso, caberá ao responsável que pretenda, depois da remoção, reaver o veículo, arcar com os custos de remoção, variáveis conforme o tipo de automóvel, a distância do pátio da subprefeitura, o equipamento utilizado para o procedimento e o trabalho da equipe, além do custo diário da estadia, também calculada conforme o tipo de veículo.
É importante destacar que qualquer cidadão pode e deve denunciar o abandono de veículos para a Prefeitura por meio do telefone 156, praças de atendimento das Subprefeituras ou pelo site http://sac.prefeitura.sp.gov.br “.

Ouça aqui a reportagem