Motoritas evitam à avenida Presidente Wilson
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Motoritas evitam à avenida Presidente Wilson

Marcel Naves

14 Julho 2016 | 16h41

Cratera inerdita parte da calçada na avenida Presidente Wilson, na altura da Estação Mooca, da CPTM.

Cratera interdita parte da calçada na avenida Presidente Wilson, na altura da Estação Mooca, da CPTM.

Há tempos a situação em uma das mais importantes vias de ligação entre São Paulo e o ABC é ruim. As obras de recapeamento feitas pela prefeitura não suportam o tráfego pesado de caminhões. Em muitos trechos verdadeiras crateras que não estão sequer devidamente sinalizadas oferecem risco a pedestres e motoristas.

Os pontos de descarte clandestino de entulho se espalham por várias esquinas. Na almirante Lobo com a Presidente Wilson, a calçada foi totalmente ocupada por restos de construção, móveis e sacos de lixo. Com receio, moradores de bairros como Mooca e Ipiranga evitam utilizar à presidente Wilson.

Em um ponto de táxi localizado em frente à estação Tamanduateí  do metrô, também há reclamações quanto ao descaso com a situação. As queixas ficam por conta das péssimas condições do local onde os passageiros são atendidos e o alto custo com a manutenção dos veículos. ” É buraco pra todo o lado, a gente não tem pra onde correr, é uma situação que compromete o carro pois quebra amortecedor, mola, suspensão, quebra tudo”, afirma o taxista Gomes.

Entulho bloqueia calçada da Rua Almirante Lobo com à av. Presidente Wilson.

Entulho bloqueia calçada da Rua Almirante Lobo com à av. Presidente Wilson.

Terrenos ocupados irregularmente também oferecem perigo, sobretudo em virtude da falta de sinalização. Em muitas destas áreas é grande a quantidade de crianças que atravessam á avenida. Nestes pontos não existem semáforos ou  faixa de pedestres.

De acordo com a prefeitura os serviços de tapa buraco são feitos regularmente, no que tange respeito a responsabilidade da subprefeitura do Ipiranga. Já o trecho administrado pela subprefeitura da Sé ainda será vistoriado, e os reparos necessários serão realizados. Os demais problemas encontrados, como uma cratera na calçada, pouco antes da estação  da CPTM ficará a cargo da subprefeitura da Mooca.

Em relação ao descarte irregular de entulho a prefeitura informou que  isto é  considerado  crime ambiental, com multas de até R$ 17 mil. O órgão também pede a colaboração da população para que denuncie este tipo de prática.

Abaixo íntegra da nota de esclarecimentos da PMSP :

“A Secretaria de Coordenação das Subprefeituras informa que a Subprefeitura Ipiranga realizou serviços de tapa-buraco entre os dias 8 e 13 de julho no trecho da Avenida Presidente Wilson que está em sua jurisdição; em relação ao que pertence à Subprefeitura Sé, será realizada uma vistoria ainda nesta semana e, se for constatada necessidade de intervenção, a via será incluída na programação de serviços.
Com relação aos danos na calçada no trecho entre a antiga fábrica da Antártica e a estação da CPTM, a subprefeitura Mooca irá avaliar o que ocorreu no local e, sendo de sua competência, programará os reparos.
Informamos, ainda, que a via recebe serviços de varrição diariamente e os pontos de descarte irregular são limpos semanalmente ou quando constatada a necessidade. Apesar dos esforços da subprefeitura, é importante ressaltar a necessidade de apoio da população para que os munícipes não depositem materiais inservíveis nas ruas. O descarte irregular de lixo e entulho é crime ambiental passível de multa de R$ 17 mil, conforme previsto em lei. Denúncias podem ser feitas pelo telefone 156 da Prefeitura”.

Ouça aqui a reportagem.