Moradores de Cotia reivindicam iluminação, asfalto e limpeza pública
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Moradores de Cotia reivindicam iluminação, asfalto e limpeza pública

Marcel Naves

23 de novembro de 2016 | 15h59

Passagem utilizada por moradores, ao lado do cemitério Maranhão não possuí sequer asfalto.

Passagem utilizada por moradores, ao lado do cemitério Maranhão não possuí sequer asfalto

No bairro do Maranhão, em Cotia, na grande São Paulo, os moradores alegam que falta praticamente tudo. As reclamações vão de problemas no transporte público e pontos de descarte de entulho até a ausência total de acessibilidade.

Na Estrada Victors, uma das mais movimentadas da região, a principal queixa é sobre a falta de iluminação pública. As luminárias existem, mas não funcionam, como relata o estudante Alan Christian, de 22 anos. “Tem tudo, postes, lâmpadas e fios, mas a impressão que temos é que não existe energia, pois sempre fica tudo escuro por aqui”, afirma.

A dona de casa Maria de Almeida, que tem uma filha com necessidades especiais, diz que sofre muito com a falta de ônibus.  Ela relata que diariamente anda quilômetros para levar a filha à escola, pois os ônibus demoram muito para passar.

Não existe calçadas em grandes trechos da Estrada Victors.

Não existem calçadas em grandes trechos da Estrada Victors, uma das vias mais movimentadas de Cotia

A moradora Ligia Paz Cruz afirma que a situação da região é de total abandono. Ela lembra que, além da falta de iluminação, muitas ruas não têm asfalto e o lixo está por todo o lado. “Não tem nada por aqui, só problemas. E ninguém faz nada pra mudar isto parece que esqueceram da gente”, afirma.

Em um comunicado, a Secretaria de Segurança de São Paulo informou que atua na região, sobretudo em áreas com maior incidência de crimes. Segundo o órgão,  de janeiro a setembro foram feitas 442 prisões.  Procurada, a prefeitura de Cotia não se pronunciou sobre as reivindicações feitas pelos moradores.

Confira abaixo a íntegra da nota emitida pela SSP:

“A SSP informa que Polícias Civil e Militar atuam na região para combater todo tipo de crime e realizam operações periódicas, sempre em locais com maior incidência de crimes. De janeiro a setembro, 442 prisões foram feitas na região e 56 armas de fogo foram apreendidas.

A PM informa ainda que, para ajudar a Prefeitura, elabora o Relatório sobre Averiguação de Incidente Administrativo (RAIA), que aponta locais que têm problemas urbanos, como a falta de iluminação, o que pode influenciar em questões da Segurança Pública”.