Lojistas do Mercado do Ipiranga reclamam da burocracia
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Lojistas do Mercado do Ipiranga reclamam da burocracia

Marcel Naves

15 Dezembro 2016 | 17h04

Apesar da queda nas vendas, lojistas do Mercado do Ipiranga se preparam para, retomar as vendas no Natal.

Apesar da queda nas vendas , lojistas do Mercado do Ipiranga  estão otimistas e apostam  na decoração natalina.

O mercado Municipal do Ipiranga, na zona sul de São Paulo é certamente é uma boa dica nesta época de festas. Ao lado a existência de uma base da Policia Militar possibilita maior segurança para ás compras. Os corredores estão em ordem, as mercadorias expostas  adequadamente e os banheiros estão em ordem.

Mesmo assim o presidente da Associação dos Permissionários, Rogério Drigo diz que a burocracia existente atrapalha e muito. Segundo ele, toda vez que é preciso recorrer à prefeitura existe uma grande dificuldade. “Sempre que precisamos da prefeitura é uma verdadeira novela, e nunca se resolve nada”, afirma.

Já para os comerciantes a principal preocupação está na diminuição das vendas. Aldo Airoldi, é dono de um laticínio não saber precisar mais ressalta que as vendas caíram bastante. “A gente tem de se preocupar em aumentar a clientela, o resto é parar de reclamar e trabalhar”, diz.

Os frequentadores que foram perguntados pela reportagem da Rádio Estadão se mostraram satisfeitos com a estrutura oferecida pelo Mercado. No entanto, tal satisfação não significa a inexistência de problemas.

Estacionar no mercado do Ipiranga não é uma tarefa fácil, apesar da existência de dois estacionamentos. Um localizado na entrada principal, com um número reduzido de vagas, e outro no subsolo com o preço simbólico de apenas dois reais. Parar o carro só mesmo na zona azul.

 

Em nota a prefeitura informou que de acordo com o decreto 41.425/2001, à manutenção e a conservação das unidades de abastecimento é de responsabilidade dos permissionários.

Leia abaixo a íntegra do comunicado emitido pela Prefeitura:

“A Secretaria Municipal do Desenvolvimento, Trabalho e Empreendedorismo informa que, de acordo com o Decreto nº 41.425/2001, fica sob responsabilidade dos permissionários, através da Associação dos Permissionários, a manutenção dos seguintes serviços e áreas, na unidade de abastecimento.
 
Art. 24 – Será de inteira responsabilidade das permissionárias o pagamento do valor correspondente aos encargos provenientes do funcionamento e operacionalização tanto da área ocupada, objeto da permissão de uso, quanto das áreas de uso comum, em especial aqueles referentes ao consumo de água, esgoto, energia elétrica, limpeza, higienização, programas integrados de controle de pragas, manutenção e conservação, portaria, vigilância, instalação e operação de sistema de sonorização e telefonia, de serviços informatizados, bem como quaisquer outros encargos resultantes do funcionamento dos equipamentos municipais que vierem a ser instituídos pela Administração”.
Ouça aqui a reportagem.