Fios no chão preocupam moradores de Santo André
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Fios no chão preocupam moradores de Santo André

Marcel Naves

08 Julho 2016 | 19h23

Fios caídos são amarrados em poste da Rua Coronel Fernando Fláquer.

Fios caídos são amarrados em poste da Rua Coronel Fernando Prestes, em  Santo André

As Ruas Coronel Fernando Prestes e Luiz Pinto Fláquer, no centro de Santo André, têm o mesmo problema: ambas possuem fios espalhados por toda sua extensão. Soltos ou apenas dependurados, eles representam um grande transtorno aos pedestres e aos comerciantes. As reclamações são constantes e os consertos feitos parecem não ser suficientes.

As queixas dão conta de caminhões, que devido à altura acabam rompendo a fiação, até cabos de operadoras do setor de telecomunicações que sempre acabam no chão. Diante da situação, quem transita pela calçada acaba sendo obrigado a ir para rua. Já para os proprietários ou comerciantes, a alternativa é aguardar o conserto da AES Eletropaulo.

À altura do número 600 existe um fio com uma das pontas presa à extremidade de um poste, enquanto a outra está sobre a rua. Alguns metros adiante a situação se repete, com a diferença de que os cabos estão enrolados. O gerente de um estabelecimento de lubrificantes automotivos alega que não se trata da falta de reparo mas do que é deixado no local após as manutenções e consertos. “Quando o caminhão passa e arrebenta os fios, a gente chama a Eletropaulo, mas depois que eles consertam deixam tudo solto na calçada”, diz Elton Ferrari.

A preocupação de muita gente está exatamente no fato de não terem condições de saber se um determinado fio está ou não energizado. Diante da dúvida, e por precaução, desviar é a única alternativa. “Aquele fio que está naquela calçada é o que leva energia para o elevador do meu estabelecimento”, aponta Lucélia de Souza, dona de uma loja de uniformes.

A AES Eletropaulo, depois de realizar uma vistoria no local, constatou que os fios que estão sobre a calçada não são energizados. A companhia afirmou ainda que os fios pertencem às operadoras de telefonia. A empresa também informou que, apesar de fiscalizar a utilização dos postes, não pode punir quem comete irregularidades, apenas notificar os responsáveis e solicitar as regularizações.

Abaixo segue nota da Eletropaulo

“Em resposta à Rádio Estadão, a AES Eletropaulo informa que esteve, hoje, na Rua Coronel Fernando Prates, e constatou que o fio mencionado é de telefonia.
A distribuidora reitera que é autorizada a notificar, mas não tem poder de punir as empresas que atuam de forma ilegal, e que as empresas de telefonia apenas são obrigadas a regularizar até 2.100 pontos durante um ano. Em 2015, a concessionária enviou ofícios para todas as operadoras que compartilham sua infraestrutura, solicitando a adequação de 2.129 pontos”.

Ouça aqui a reportagem