Drogas e prostituição impedem acesso a praça de Interlagos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Drogas e prostituição impedem acesso a praça de Interlagos

Marcel Naves

02 Agosto 2016 | 18h17

Restos de fogueira em plena Praça Sargento Jose Carlos Trindade são sinais do abandono do local.

Restos de fogueira em plena Praça Sargento Jose Carlos Trindade, na zona sul, são sinais do abandono do local.

A Praça Sargento José apesar de arborizada e bem localizada  está longe de ser uma área de lazer. O local que se encontra tomado pelo lixo, mato alto e entulho é atualmente um ponto de prostituição, consumo e venda de drogas. Uma movimentação que pode ser notada a qualquer hora do dia, principalmente à noite.

Uma situação que tem provocado inúmeros transtornos. As reclamações dizem respeito ao crescente número de assaltos e consumo de drogas. Mas o descontentamento maior está na prostituição. Há relatos de atos sexuais que são praticados em plena  praça ou dentro de carros. As cenas são constrangedoras e chegam a intimidar os moradores.

Camila Sampaio relata que praticamente nasceu na região e nunca viu uma situação tão ruim. Segundo ela o quadro se agravou demais nos últimos três anos. “A gente tem uma praça que não pode ser utilizada para o nosso lazer, não podemos sequer passar perto. É muita prostituição e muito consumo de droga”, afirma.

A Praça não possui calçadas ou qualquer meio que possibilite uma caminhada em seu entorno. A poda é insatisfatória e muitos galhos acabam por encobrir as luminárias da rua. O lixo (restos de comida, roupas velhas, preservativos e seringas), está por toda a parte.

Em um comunicado enviado por e-mail a prefeitura esclareceu que os serviços de conservação da praça são feitos com a devida periodicidade. O informativo assegura que após uma vistoria os devidos reparos serão feitos.

A polícia militar esclareceu que realiza o patrulhamento da área e nos últimos dois meses não apontou o registro de casos relativos ao consumo de droga e ou de pessoas que estejam mantendo relação sexual em via pública.

Confira abaixo a íntegra das notas encaminhadas pela prefeitura e pela PM.

PMSP

“A Subprefeitura Capela do Socorro informa que o local citado recebeu serviços de corte de grama no final de abril e a periodicidade de execução é de três meses. Ressaltamos ainda que o local será vistoriado nesta quarta-feira (3) para que os serviços necessários sejam incluídos na programação dos próximos dias”.

PM

“O Comando de Policiamento de Área Metropolitana Dez esclarece à reportagem do Jornal “O Estado de São Paulo” que realiza o policiamento ostensivo, na Praça Sargento José Carlos Trindade, por meio da 3ª Cia do 27º BPM/M, calcado na análise dos indicadores criminais, informações de inteligência e notícias crime por parte da comunidade em geral. Estas fontes compõem o principal acervo de coleta de dados que formam a base do planejamento de aplicação da força de patrulha nas circunscrições policiais. Toda a tecnologia aplicada visa dar ao cidadão um serviço público de qualidade, rápido e eficiente. Os policiais militares pertencentes àquela Companhia realizam diuturnamente o policiamento ostensivo e preventivo no local citado, por meio dos programas de policiamento com viaturas do programa de rádio patrulha em 04 rodas, rádio patrulha em 02 rodas (RPM – Rádio Patrulhamento com Moto), equipes de Força Tática, equipes da ROCAM, equipes de Ronda Escolar, Bases Comunitárias Móveis e Policiamento Ostensivo a pé. O 27º BPM/M somente no primeiro semestre de 2016 realizou várias atividades policiais que resultaram em diversas apreensões e prisões.

Importante esclarecer que, conforme levantamento do setor operacional, nos últimos dois meses, não constam registros de ocorrências de usuários de drogas ou de pessoas mantendo relação sexual em via pública, naquele local, conforme noticiado. Havendo apenas o registro de um roubo, numa rua próxima ao local. Portanto, aproveitamos para solicitar aos cidadãos, caso sejam vítimas de algum ilícito, que não deixem de registrar o fato junto à Delegacia da Polícia Civil, pois, conforme explicado acima, esses dados ajudam a compor o principal acervo de coleta de dados que formam a base do planejamento de aplicação do policiamento na região. A Polícia Militar do Estado de São Paulo continuará atuando na região, por meio da 3ª Cia do 27º BPM/M, de maneira preventiva empregando diversas modalidades de policiamento e Operações desencadeadas de acordo com as necessidades a partir de estudos dos indicadores criminais”.

Ouça aqui a reportagem