FELIPE RAU/ESTADÃO
FELIPE RAU/ESTADÃO

X-9 Paulistana abre o 2º dia de desfiles do carnaval de São Paulo

A campeã do Grupo de Acesso no ano passado trouxe para a avenida os ditados populares em seu enredo

Bruno Ribeiro e Fabio Leite, O Estado de S.Paulo

11 Fevereiro 2018 | 00h50

Campeã do Grupo de Acesso no ano passado, a X-9 Paulistana abriu o segundo dia de desfiles do carnaval paulistano neste sábado, 10, levando ditados populares para a avenida em um samba que pegou e animou o Sambódromo do Anhembi.

O "presente de grego" representado pela comissão de frente, que trouxe para a avenida o "cavalo de Troia", deu início à série de provérbios que permearam todo o samba-enredo "A voz do samba é a voz de Deus. Depois da tempestade vem a bonança".

Em uma das cinco alegorias, a X-9 Paulistana trouxe o carro "Casa da mãe Joana", fazendo alusão a atual situação política do País, com homens com ternos sujo de lama e usando a faixa presidencial. Na sequência a ala "Acabar em pizza" foi uma das 21 alas da agremiação, todas batizados por ditos populares, como "Arco da Velha", "Maria vai com as outras" e "Santo do pau oco".

Um dos destaques da escola foi a bateria "Pulsação Nota Mil", comandada pelos mestres Fabio Américo e Kito. Durante o desfile, os ritmistas da ala "Um por todos e todos por um" fizeram a tradicional bossa, mudando o ritmo da batida, imitaram os batimentos do coração e levantaram o público. 

"Desfilo há 25 anos, ela há 20. Estamos há dois como mestre sala e porta bandeira. Esse foi o ano em que a plateia mais se empolgou com a gente" disse Daniel Vitro, primeiro mestre sala da X-9. "Estou muito emocionada", completou a porta-bandeira Lyssandra Grooters.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.