Vítimas reconhecem quatro menores como assaltantes de casas no Brooklin

Ao chegar na delegacia com os pais, o quarto adolescente também foi reconhecido

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

16 Julho 2012 | 04h07

SÃO PAULO - Quatro adolescentes, com idades entre 15 e 17 anos, reconhecidos por pelo menos quatro vítimas como responsáveis por assaltos a residências nas regiões do Brooklin e Itaim Bibi, na zona sul da capital paulista, foram devolvidos aos pais, na noite de domingo, 15, após três deles, portando uma falsa pistola, serem parados pela PM na rua e o quarto, irmão de um dos três, comparecer na delegacia acompanhado do pai e da mãe.

 

Por volta das 19h30, em patrulhamento pela Rua Miguel Sutil, na Vila Cordeiro, policiais militares da 4ª Companhia do 12º Batalhão, que já tinham a característica física de supostos adolescentes que vinham atuando na região, desconfiaram dos três jovens. O trio, ao perceber a aproximação da viatura, acelerou os passos e foi abordado. Com eles havia uma pistola de brinquedo, segundo os policiais, que apreenderam os menores, encaminhando-os para o plantão do 27º Distrito Policial, do Campo Belo.

 

"Os três foram reconhecidos pelas vítimas na delegacia. O outro, que é irmão de um deles, chegou depois com os pais e para nossa surpresa também foi reconhecido pelas vítimas.", relatou o cabo PM Marques. Segundo os policiais militares, um dos menores já tem passagem pela Fundação Casa (antiga Febem). "Somente neste mês de julho já ocorreram sete roubos em residências na Vila Cordeiro.", acrescentou o policial militar.

 

Segundo ainda o cabo Marques, os menores atacam as vítimas no momento em que elas abrem o portão da casa ou para sair com o carro ou para guardá-lo. "Eles entram na casa, rendem as pessoas, subtraem os objetos que querem e fogem no veículo da família.", disse o policial. Como não houve flagrante, os menores foram devolvidos aos pais, mas, caso voltem a praticar novo crime e sejam apreendidos em flagrante, serão encaminhados para a Fundação Casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.