Vítimas de chacina no Réveillon são enterradas em Campinas

Corpos foram velados simultaneamente e cortejo foi acompanhado por cerca de 300 pessoas, entre amigos e familiares; autor dos disparos foi enterrado em Jaguariúna

Alexandre Hisayasu, O Estado de S. Paulo

02 Janeiro 2017 | 13h08

CAMPINAS - Os corpos das 12 pessoas mortas na noite de Réveillon, em Campinas, foram enterrados no final da manhã desta segunda, 2, no cemitério da Saudade, que fica próximo à região central.

O autor dos disparos, o técnico em laboratório Sidnei Ramis de Araújo, de 46 anos, se matou depois do crime. Segundo a Polícia Civil, ele quis se vingar da ex-mulher que ficou com o guarda do filho.

Morreram a ex-mulher de Araújo, Isamara Filier, de 41 anos e o filho, João Victor, de 8. Também foram mortos Liliane Ferreira Donato, de 44, Rafael Filier, de 33, Antonia Dalma Ferreira de Freitas, de 62, Abadia das Graças Ferreira, de 56, Paulo de Almeida, de 61, Ana Luzia Ferreira, de 52, Larissa Ferreira de Almeida, de 24, Carolina de Oliveira Batista, de 26 e Alessandra Ferreira de Freitas, de 40. Luzia Maia Ferreira, de 85, que chegou a ser socorrida, morreu no Hospital das Clínicas. Araújo foi enterrado em Jaguariúna.

Os corpos foram velados simultaneamente e sepultados de dois em dois. Isamara e o filho foram enterrados por último. O cortejo foi acompanhado por cerca de 300 pessoas, entre amigos e familiares. Muitos choraram durante todo o trajeto. A família pediu privacidade e não deu entrevistas.

Mais conteúdo sobre:
Campinas violência Chacina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.