Vereador é condenado a cinco anos após espancar e jogar ex-mulher da escada

Guilherme Prócida (PSDB) é filho do atual prefeito de Mongaguá, o também tucano Artur Parada Prócida

Luiz Alexandre Souza Ventura, Especial para o Estado

17 Agosto 2017 | 15h16

SANTOS - O vereador Guilherme Prócida (PSDB), de Mongaguá, no litoral sul de São Paulo, foi condenado à prisão nesta semana por dar socos na cabeça, puxar os cabelos e jogar da escada a ex-mulher, uma professora de Educação Física de 33 anos. 

O crime foi cometido em dezembro de 2011, dias antes do Natal. O vereador condenado é filho do atual prefeito da cidade, Artur Parada Prócida (PSDB). 

O casal estava junto havia três anos e a agressão ocorreu quando o homem suspeitou de uma traição. Segundo a advogada da vítima, o vereador levava a mulher em casas de swing e ela teria ameaçado revelar o hábito.

O advogado do vereador afirma que Prócida é inocente e vai entrar com recurso, alegando que não houve agressão ou ameaça, e que o suposto crime já está prescrito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.