Nacho Doce/Reuters
Nacho Doce/Reuters

União reforça rede em SP e busca parcerias

Serão criados no Estado mais 660 leitos e qualificados outros 413 em enfermarias especializadas em álcool e drogas

Bruno Paes Manso - O Estado de S. Paulo,

10 Dezembro 2011 | 19h25

O Ministério da Saúde, juntamente com os gestores locais, vai reforçar a rede de assistência aos usuários de crack e outras drogas em São Paulo.

 

Veja também:

linkBrasil já tem pelo menos 29 grandes cracolândias, dispersas por 17 capitais

linkPioneiro na Bahia afirma que internação à força é um erro

linkEm Brasília, consumo só mudou de lugar

 

Serão criados no Estado mais 660 leitos e qualificados outros 413 (totalizando 1.073) em enfermarias especializadas em álcool e drogas, destinados a internações de curta duração, além de 173 unidades de acolhimento, sendo 124 destinadas ao atendimento de adultos e outras 49 para crianças e adolescentes. O Ministério da Saúde vai investir R$ 569 milhões na implementação desses serviços.

A ampliação do número de leitos é uma das ações do plano Crack, É Possível Vencer, lançado pela Presidência da República. O ministro da Justiça, José Eduardo Martins Cardozo, disse na sexta-feira ao Estado que o próximo passo do governo para a implementação do programa é iniciar pactos com os governadores para que as medidas propostas sejam implementadas de acordo com as necessidades locais.

Cardozo acredita que uma das peças centrais para o sucesso das medidas é a boa coordenação das atividades. "Haverá um comitê de gestão para articular as ações e será acompanhado a partir da Casa Civil", disse. "Essa coordenação é necessária porque as ações envolvem diferentes pastas e assuntos."

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.