1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Um terço dos paulistanos teve bairro alagado, diz BID

Fabiana Cambricoli - Agência Estado

28 Março 2014 | 15h 09

Apenas a capital argentina teve um índice de bairros alagados superior ao de São Paulo: 36% ante 31%. Levantamento foi feito em cinco grandes cidades da América Latina

SÃO PAULO - Um terço dos paulistanos teve seu bairro alagado pelo menos uma vez no último ano, revela pesquisa sobre infraestrutura urbana divulgada nesta sexta-feira, 28, pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). O levantamento foi feito em cinco grandes cidades da América Latina. Além de São Paulo, participaram Buenos Aires, Cidade do México, Lima e Bogotá. Só a capital argentina teve um índice de bairros alagados superior ao da capital paulista: 36% contra 31%.

A pesquisa revela ainda que os paulistanos são os que ficam maior tempo no trânsito entre as cinco cidades pesquisadas. Em média, os moradores da capital gastam 1 hora e 37 minutos do seu dia no deslocamento de ida e volta para casa.

Os moradores de São Paulo também foram os que pior avaliaram os espaços públicos da cidade. Apenas 17% dos entrevistados disseram que o município tem locais desse tipo suficientes, índice muito inferior à média das cinco localidades: 45%. Além disso, apenas 16% dos paulistanos consideram os espaços públicos seguros.

A poluição foi outro ponto destacado pelos entrevistados em São Paulo. Segundo a pesquisa, 40% dos paulistanos tiveram doenças respiratórias no último ano. A grande maioria atribuiu a doença má qualidade do ar. Na avaliação de serviços básicos, 77% dos paulistanos consideraram a energia elétrica cara ou muito cara na cidade, o maior índice entre os cinco municípios pesquisados.

Prioridades. O levantamento feito pelo BID apontou ainda que São Paulo é a única cidade pesquisada em que a segurança não apareceu no topo do ranking de prioridades. Para os paulistanos, o tema mais citado foi transparência, seguido por participação e segurança. Foram entrevistadas mil pessoas em cada cidade, entre outubro e novembro de 2013.

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo