Rafael Arbex/Estadão
Rafael Arbex/Estadão

Um dia após pesquisa mostrar desaprovação, Doria antecipa salário e 13º

Prefeito diz que decisão de liberar pagamento antes do previsto a servidores públicos municipais é 'fruto de boa gestão'

Felipe Cordeiro, O Estado de S.Paulo

06 Dezembro 2017 | 18h13

SÃO PAULO - Um dia após pesquisa Datafolha apontar um aumento da rejeição a sua gestão, o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou em suas redes sociais a antecipação do pagamento do 13º salário e da remuneração de dezembro aos servidores públicos municipais. Veja o vídeo abaixo:

+++ Doria anuncia a servidores antecipação do 13º salário

Em vídeo divulgado nesta quarta-feira, 6, o prefeito afirmou que o 13º será depositado na conta dos funcionários públicos na próxima terça-feira, 12, em vez do dia 20. Já o salário de dezembro, que estava previsto o dia 29, será pago uma semana antes, no dia 22.

+++ 'Vamos trabalhar mais', diz Doria sobre aumento de desaprovação à sua gestão

"Essas duas boas notícias para você (servidor público) são fruto de boa gestão, gestão eficiente, focada, responsável para permitir que essas duas ações pudessem ser feitas com toda tranquilidade", disse Doria.

+++ Reprovação de Doria triplica e se iguala à de Haddad

Segundo o levantamento divulgado nesta terça-feira, 5, a desaprovação a Doria chegou a 39%, número três vezes maior do que o registrado em fevereiro, quando apenas 10% dos paulistanos avaliavam a gestão do tucano como ruim ou péssima. Com 11 meses à frente da Prefeitura, Doria alcançou o mesmo nível de reprovação do primeiro ano da gestão anterior, do ex-prefeito Fernando Haddad (PT), que também era de 39%. 

Realizada entre os dias 28 e 30 de novembro, a pesquisa apontou ainda que 29% da população considera a gestão de Doria ótima ou boa, enquanto 31% a avaliam como regular e 1% não soube responder. Nos levantamentos anteriores, a reprovação do tucano começou em 10% (em fevereiro), dobrou para 20% (abril), aumentou para 22% (junho) e 26% (outubro). Por fim, chegou a 39% no fim de novembro.

 

Ao comentar o resultado do levantamento, Doria afirmou nesta terça que o aumento da desaprovação a sua gestão mostra que será necessário trabalhar mais pela cidade. Ele culpou o orçamento herdado do governo anterior pela falta de ações de zeladoria na cidade, um dos pontos mais negativos citados pelo entrevistados.

"É sempre bom respeitar a opinião pública", disse Doria. "Vamos trabalhar mais, focar mais", complementou, acrescentando que a mesma pesquisa coloca o índice de aprovação em 60%, se somadas as avaliações de ótimo, bom e regular.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.