TV em tempo real é liberada nos ônibus de São Paulo

Em 30 dias, Globo começará a testar transmissões ao vivo; Record entra na briga pelos 14 mil coletivos de SP

Diego Zanchetta, O Estado de S. Paulo,

31 Agosto 2009 | 08h26

Uma portaria publicada sábado no Diário Oficial da Cidade autoriza as transmissões de mídia televisiva em tempo real dentro dos ônibus de São Paulo. O serviço já era testado há cerca de um mês, mas todo material veiculado tinha de ser enviado antes à São Paulo Transporte (SPTrans), empresa responsável por gerenciar os serviços de ônibus na capital.

Globo e Record querem transmitir suas programações nos 14 mil coletivos que circulam na cidade. Do conteúdo autorizado para publicidade, que inclui também peças impressas, 30% será destinado à grade de programação da mídia televisiva, com uso preferencial para mensagens de caráter institucional, de campanhas educativas e de utilidade pública promovidas pela Prefeitura. Em até 30 dias, a Globo deve começar a testar transmissões ao vivo de partes do Jornal Nacional e do Globo Esporte, além de apresentar um resumo dos capítulos anteriores das novelas.

As empresas também deverão disponibilizar à SPTrans, via link de internet, a programação diária veiculada em tempo real ou enviar com antecedência de cinco dias úteis qualquer tipo de material gravado. Apesar de o áudio ser proibido, a portaria do secretário municipal dos Transportes, Alexandre de Moraes, autoriza a empresa veiculadora a disponibilizar sistema de áudio com utilização de fone de ouvido, por meio de tecnologia bluetooth ou frequência modulada específica.

As transmissões de natureza político-partidária e que "atentem contra a moral, os bons costumes e a dignidade da família" estão vetadas. Propagandas de cervejas e cigarros também foram expressamente proibidas. A cada anúncio veiculado em um coletivo, as viações terão descontadas da remuneração transferida pela SPTrans um valor mensal equivalente a sete tarifas do transporte público, hoje a R$ 2,30 (R$ 16,10 por anúncio).

"As empresas responsáveis pela mídia eletrônica televisiva poderão transmitir sua programação de maneira offline e/ou online e o equipamento de recepção e armazenagem de dados poderá estar apto a receber, armazenar e exibir conteúdos em tempo real, por meio de tecnologia GPRS, 3G, Digital, dentre outras", informa a portaria. Cada coletivo poderá ter até quatro monitores, no caso dos ônibus biarticulados. A Rede Bandeirantes, em até 180 dias, também deve entrar com transmissão, nos 300 ônibus explorados pela TVO.

A portaria foi publicada uma semana após a SPTrans determinar a retirada do ar da transmissão da TV Globo, em teste em 25 coletivos. O veto veio depois que a Globo passou a veicular conteúdo que não havia sido analisado com antecedência pelos técnicos da SPTrans.

A Assessoria de Imprensa da Secretaria Municipal dos Transportes informou que as três empresas que detêm os direitos de transmissão nos ônibus são a Bus Media (300 ônibus, ligada à Globo), a TVO (500 ônibus, parceira da Rede Bandeirantes) e a BUS TV (100 ônibus). A pasta não acredita em guerra de audiência com a autorização de transmissões ao vivo. O secretário Alexandre de Moraes, titular dos Transportes e presidente da SPTrans, disse que não comentaria detalhes da portaria.

Mais conteúdo sobre:
TV tempo real ônibus SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.