Reprodução Google Maps
Reprodução Google Maps

Três suspeitos são presos após tiroteio durante ataque a banco em Pedreira

Criminosos estavam fortemente armados e renderam os vigilantes que abasteciam uma agência

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

04 Maio 2018 | 14h31

SOROCABA - Três suspeitos foram presos, um deles após ser baleado durante tentativa de assalto a um carro-forte e uma agência bancária, na manhã desta sexta-feira, 4, em Pedreira, interior de São Paulo. Outros dois suspeitos conseguiram fugir e eram procurados. 

Os criminosos estavam fortemente armados e renderam os vigilantes que abasteciam uma agência do banco Bradesco, na região central da cidade. Os seguranças do carro-forte que estavam do lado de fora reagiram e houve tiroteio. Os bandidos, acuados no interior da agência, fugiram por uma porta lateral e não teriam levado malotes com dinheiro.

+++ Cinco pessoas são assassinadas em cidade do interior de SP

O bando chegou ao local num automóvel com placas de São José do Rio Preto. Conforme a Polícia Militar, eles estavam armados com dois fuzis, uma submetralhadora e uma espingarda calibre 12. A agência, na rua Antonio Pedro, estava aberta e tinha clientes no interior, quando o bando entrou e rendeu os vigilantes. Os seguranças do carro-forte estavam se preparando para deixar o local e retornaram em socorro aos colegas. Os tiros destruíram vidros no interior e na fachada da agência.

Na fuga, um dos suspeitos roubou um carro e fez um homem refém. O veículo e o refém foram deixados numa estrada de terra. Com a ajuda de um helicóptero, a polícia prendeu três suspeitos. O homem baleado na perna foi levado para uma unidade de saúde, onde recebia atendimento sob escolta. Os policiais recuperaram um revólver e um colete balístico que tinha sido roubado de um vigilante. Também foram apreendidas algumas das armas usadas no roubo. Os suspeitos que fugiram eram procurados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.