Três pessoas da mesma família morrem em acidente após tentativa de assalto

Ameçado por assaltante, motorista de micro-ônibus perdeu o controle e bateu no carro das vítimas

Rafael Italiani, O Estado de S. Paulo

12 Abril 2014 | 18h57

SANTO ANDRÉ - Uma tentativa de assalto a um micro-ônibus, em Santo André, no ABC, por volta do meio-dia de ontem, terminou com a morte de três pessoas da mesma família que estavam em outro carro. Ameaçado pelo assaltante com uma faca, o motorista do coletivo, de 45 anos, perdeu o controle do veículo e atingiu o automóvel das vítimas. O ajudante André Soares Pelegrino, 29 anos, foi preso em flagrante e indiciado por latrocínio (assalto seguido de morte).

De acordo com a polícia, o assaltante embarcou no micro-ônibus na avenida São Bernardo do Campo junto com um grupo de crianças que saía de uma escola. Com a faca em punho, Pelegrino rendeu o motorista do veículo e anunciou o assalto. Segundo Marcos Alexandre Cattani, delegado titular do 6º DP de Santo André, o assaltante obrigou o motorista a continuar dirigindo. “Ele gritou, mandou o motorista acelerar e ele perdeu o controle”, disse o delegado.

O micro-ônibus atingiu oVolkswagen Gol das vítimas. Dentro do carro estavam o pintor Vladimir Teixeira Pinto, 43 anos, a mulher dele, a doméstica Célia Aparecida Daniel, 44 anos, e as filhas do casal, a jovem Mariana Daniel, 24 anos e a estudante Maria Clara Daniel, 9 anos. O pai, a mãe e a filha mais velha morreram no pronto-socorro da cidade.

Apenas a criança sobreviveu ao impacto. Mesmo assim, segundo a Secretaria de Estado da Saúde, o estado de saúde de Maria Clara é grave. Segundo a pasta, a estudante está internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Mário Covas. Os corpos do pai, da mãe e da irmã de Maria Claro foram enterrados na tarde de hoje no Cemitério do Curuçá, também em Santo André.

Indiciamento

O delegado Cattani afirmou que indiciou Pelegrini por latrocínio porque, segundo ele, ao ameaçar o motorista e obrigar ele a acelerar, “assumiu o risco de causar mortes”. Ainda de acordo com o delegado, o indiciado afirmou que encontrou a faca na rua e que iria comprar drogas com o dinheiro do assalto. Após o acidente, Pelegrini chegou a ser linchado por testemunhas. As agressões só terminaram após a chegada da Polícia Militar.

Mais conteúdo sobre:
São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.