Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

'Todos somos iguais perante a lei': cofundador da Parada LGBT de SP explica a escolha do tema

O evento ocorre neste domingo, 18, e aborda questões do 'Estado Laico'

Murilo Busolin, O Estado de S. Paulo

17 Junho 2017 | 16h38

A 21ª Parada LGBT de São Paulo acontece neste domingo, 18, com início às 12 horas na Avenida Paulista, em frente ao Masp, com shows de Anitta e Daniela Mercury e 19 trios elétricos, que levam a multidão até o Vale do Anhangabaú.

Nelson Matias Pereira é o cofundador da Parada LGBT de São Paulo, e em entrevista ao 'Estado' comentou sobre a escolha do tema 'Independente de nossas crenças, nenhuma religião é lei. Todas e todos por um Estado Laico'.

'Queremos dizer que dentro de um Estado democrático e teocrático, estamos exigindo apenas a igualdade. Pseudo-políticos e pseudo-religiosos começaram um discurso de que gays estariam contra a religião ao comentar este tipo de tema, mas na verdade o Estado Laico garante que as pessoas tenham sua própria religião e fé, ou não ter uma dessas vertentes'

Para Nelson, esse tipo de discurso acaba enganando os seguidores de líderes políticos e religiosos: 'A gente só não quer que essas religiões interfiram no que é do Estado, no que é da Lei. Nos últimos anos, alguns religiosos mais radicais, tem usado o espaço da política para barrar questões que envolvem os direitos LGBT's, como a criminalização da homofobia'.

O cofundador do evento também argumentou que as redes sociais amplificaram a importância e discussão sobre os temas que envolvem a Parada, além de abranger muito mais rápido os participantes e colaboradores, enriquecendo a luta LGBT pelo País.

'Tem a militância que nasce e fica nas redes sociais, na zona de conforto, e tem a militância que participa de todas as outras atividades. Esse apoio online acaba ajudando muito mais rápido que os panfletinhos que entregávamos anos atrás, temos que estar organizados ao longo do ano, em muitas outras frentes e é pra isso que a internet chegou, para nos forticarmos', finalizou Pereira.

O 'Estadão' transmitirá uma cobertura especial da 21ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo através da página oficial do Facebook e também pelo Instagram @estadao.

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.