Tiroteio no Ibirapuera fere universitária

Estudante de Direito da PUC foi atingida em ônibus, após ladrões abordarem PM à paisana

Josmar Jozino, O Estado de S.Paulo

22 Abril 2010 | 00h00

Três ladrões tentaram, na noite de anteontem, assaltar um policial militar em frente ao Parque do Ibirapuera, na zona sul de São Paulo. O homem reagiu e matou um dos assaltantes. No tiroteio, uma bala perdida acertou a estudante de Direito Natália Irie Nakazora, de 20 anos.

Ela voltava de ônibus da Pontifícia Universidade Católica (PUC), quando uma bala acertou seu rosto. Foi levada ao pronto-socorro do Hospital São Paulo. Ontem, uma funcionária que se identificou como Ana informou à tarde que ela tinha tido alta. Já outro funcionário afirmou que Natália havia sido transferida a outro hospital, mas não soube informar qual.

A Polícia Civil apura se o tiro saiu do revólver calibre 38 de um dos assaltantes ou da pistola calibre 380 do policial. Dois ladrões conseguiram escapar. Outro caso semelhante ocorreu ontem na Rodovia Anchieta, em São Bernardo do Campo, ABC paulista.

O tiroteio no Ibirapuera foi às 22h45. O PM José Carlos Frota, de 28 anos, namorava perto da entrada do portão 10 do parque, um dos cartões postais da cidade. O local era frequentado por centenas de pessoas por causa da noite quente e da véspera do feriado de Tiradentes.

Três homens se aproximaram de Frota. O soldado estava ao lado da moto Honda Hornet CB 600. Os ladrões anunciaram o assalto. Um deles já havia sacado o revólver 38. O policial militar agiu rápido. Também sacou a pistola semiautomática.

Segundo a Polícia Civil, houve troca de tiros. Mesmo atingido pelos disparos, o assaltante Carlos Roberto da Silva, de 21 anos, conseguiu correr alguns metros antes de morrer.

Durante o tiroteio passavam em frente ao portão 10 da Avenida Pedro Alvares Cabral um táxi e o ônibus da Tupi Transportes, linha 5178/10 (Largo São Francisco-Jardim Miriam), com Natália e outras 70 pessoas. O táxi era ocupado pelo motorista e por um casal. Nenhum dos três se feriu. Por sorte, a bala ficou alojada entre as portas do veículo.

Os dois assaltantes que fugiram deixaram para trás uma moto Honda CG-125. Poucos minutos após a tentativa de roubo, policiais militares detiveram dois suspeitos em Santo Amaro, zona sul. Mas eles acabaram liberados pois não foram reconhecidos.

A delegada Áurea Abanez, do 36º DP (Vila Mariana), apreendeu o revólver 38 do ladrão e a pistola 380 do oficial. As armas foram encaminhadas ao Instituto de Criminalística (IC). A perícia deverá ser concluída em 30 dias e apontará de onde partiu o tiro que acertou a universitária.

Reação. Na terça-feira à tarde, um delegado da Polícia Federal também reagiu a um assalto na Alameda Santos. Disparou nove tiros contra um ladrão, que sobreviveu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.