1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Rio Tietê sobe após abertura de comportas e invade cidades

- Atualizado: 16 Janeiro 2016 | 10h 57

Quinze quiosques e dois bares ficaram alagados em Barra Bonita

SOROCABA – A abertura das comportas da Usina Hidrelétrica de Barra Bonita, interior de São Paulo, para evitar risco de rompimento da barragem, elevou o nível do Rio Tietê e atingiu cidades da região. Na manhã deste sábado, as águas cobriam a avenida Pedro Ometto e a região beira-rio, em Barra Bonita. A ponte Campos Salles foi interditada. Quinze quiosques e dois bares estavam alagados.

O Rio Tietê em Barra Bonita (SP)
O Rio Tietê em Barra Bonita (SP)

Avisados com antecedência, os proprietários retiraram equipamentos e produtos. O material foi transportado para o Pavilhão de Exposições da prefeitura. O comerciante Fábio Adriano Alponte, dono do Bar da Ponte, foi avisado à noite para esvaziar seu estabelecimento, que fica longe do rio, mas decidiu contar com a sorte. “Tenho o bar há vinte anos e nunca inundou.” Ele conta que toda a região ficou sem energia à noite, depois que as águas subiram, mas não chegaram ao seu bar.

Em Igaraçu do Tietê, as águas atingiram casas na região ribeirinha, mas os moradores haviam sido retirados previamente, segundo o Corpo de Bombeiros de Jau. Acessos a bairros ficaram interditados. Casas e estabelecimentos comerciais também foram atingidas em Mineiros do Tietê. Barcos de turismo foram removidos para Jaú. Em Pederneiras, o rio subiu, mas não houve novos alagamentos. 

A abertura das comportas, que elevou de 2 mil para 2,8 mil metros cúbicos por segundo a vazão do Tietê, foi determinada pelo Operador Nacional do Sistema (ONS) para evitar risco de rompimento da barragem, operada pela AES Tietê. A Defesa Civil Estadual distribuiu alerta preventivo a prefeitos de nove cidades localizadas à jusante (rio abaixo). 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em São PauloX