Tentativa de assalto causa pânico em shopping de SP

Policiais à paisana frustram ação de grupo em joalheira no Center 3, na Paulista, e prendem 7

DENIZE GUEDES , O Estado de S.Paulo

31 Julho 2012 | 03h02

Policiais do Grupo de Operações Especiais (GOE) frustraram ontem à noite uma tentativa de assalto a uma joalheria do Shopping Center 3, na Avenida Paulista. Cinco policiais à paisana notaram a ação e deram voz de prisão aos criminosos. Mesmo assim, houve pânico e até interrupção de uma sessão de cinema.

Acabaram presos cinco homens e duas mulheres. Com o grupo foram apreendidos dois revólveres .38, um revólver .32, uma arma de brinquedo e três algemas de plástico - para prender funcionárias da joalheria, mas que acabaram sendo usadas nos criminosos. O alvo seria a loja Napoleon, no Piso Augusta.

Eram 21h quando dois casais, armados, se fizeram passar por clientes - os outros bandidos davam cobertura do lado de fora da loja. "Aí muitos homens com armas imensas entraram e prenderam várias pessoas", disse uma mulher que trabalha na região e não quis ser identificada.

Outro frequentador do shopping informou que a sessão do filme Batman - o cavaleiro das trevas ressurge teve de ser interrompida. Algumas pessoas chegaram a postar, apressadamente, no microblog Twitter, relatando arrastão, o que não aconteceu.

A Polícia Militar disse que recebeu um chamado de roubo, mas quando chegou ao local a ocorrência já estava sendo atendida pelo GOE, da Polícia Civil, que teria tido informações antecipadas do roubo. Há um mês, o GOE já investigava essa quadrilha e mobilizou para a ação na Paulista 10 viaturas e 30 homens. "Foi um trabalho de inteligência e não houve um disparo", disse o delegado Walter Romero Ferrari. "Outros dois suspeitos conseguiram fugir", afirmou o chefe de Investigações, Celso Parra.

Outros casos. Em maio, a joalheria Vecchio, no Shopping Granja Vianna, em Cotia, Grande São Paulo, foi assaltada por pelo menos quatro homens encapuzados, que levaram joias e relógios da vitrine. Em janeiro, o alvo de outra quadrilha foi a joalheria Sayegh do Shopping Ibirapuera, especializada em diamantes. O bando permaneceu na loja por 20 minutos e saiu caminhando com sacolas de joias.

No segundo semestre de 2010, uma onda de roubos a joalherias de shoppings de São Paulo mudou a rotina de segurança dos empreendimentos. Na época, centros de compras de Higienópolis, na região central, e do Campo Limpo, na zona sul, decidiram recorrer à segurança armada na tentativa de afastar os criminosos. O Shopping Cidade Jardim e o MorumbiShopping construíram guaritas blindadas. / COLABOROU CAMILLA HADDAD

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.