ALEX SILVA/ESTADAO
ALEX SILVA/ESTADAO

Temporais de verão já causaram 14 mortes no Estado de São Paulo

Maioria das vítimas foi atingida por raios; quatro morreram ao serem levadas pelas enxurradas

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

15 Janeiro 2015 | 18h35

SOROCABA - Os temporais já causaram a morte de 14 pessoas desde o início da Operação Verão em 1 de dezembro de 2014 no Estado de São Paulo, segundo dados da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil. Dessas, oito foram atingidas por raios, a principal causa das mortes. Quatro pessoas morreram ao serem levadas pelas enxurradas e duas em razão de desabamentos - uma vítima foi atingida pela queda de uma árvore na capital. As chuvas deixaram ainda outras 19 pessoas feridas.

Nos 45 dias de estatística, as tempestades com vento, granizo, raios e chuva intensa atingiram 74 municípios. Até a tarde desta quinta-feira, 15, tinham sido contabilizados 267 desabrigados e 1.176 desalojados em todo o Estado. Três municípios, Caconde, Poá e Pirajuí, declararam situação de emergência e ainda aguardam homologação pela Defesa Civil. A Operação Verão se estende pelo menos até o dia 31 de março próximo.

No balanço do ano passado, em todo o período da operação, o número de mortos e feridos em razão das intempéries foi bem maior que o registrado este ano, até agora. De dezembro de 2013 ao final de março de 2014, as tempestades mataram 41 pessoas e deixaram 51 feridas, segundo a estatística da Defesa Civil. No total, 150 municípios foram atingidos, com 625 pessoas desabrigadas e 3.862 desalojadas. Apenas num evento, a tromba d'água que atingiu o município de Itaoca, no Vale do Ribeira, em janeiro, 27 pessoas morreram e 312 ficaram desabrigadas.

Mais conteúdo sobre:
São Paulo Operação Verão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.