SERGIO CASTRO/ESTADÃO.
SERGIO CASTRO/ESTADÃO.

Rodovia dos Tamoios vai ter pedágio a partir de sexta-feira

Cobrança de R$ 3,50 no km 15,7 e de R$ 6,20 no km 56,6 começa à zero hora; demais praças terão reajuste médio de 9,32%

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

30 Junho 2016 | 03h00

SÃO PAULO - Nesta sexta-feira,  1º, começa a cobrança de pedágio na Rodovia dos Tamoios. Os usuários das demais rodovias estaduais paulistas também vão pagar em média 9,32% a mais nas tarifas dos pedágios, conforme o reajuste regular.

De acordo com a Agência de Transportes do Estado de São Paulo (Artesp), para o início da cobrança na rodovia do litoral era necessária a execução de no mínimo 6% das obras de duplicação do trecho da serra, o que já foi cumprido pela concessionária. O motorista vai pagar R$ 3,50 na praça do km 15,7 e R$ 6,20 ao passar pelo km 56,6.

Já o reajuste aplicado nas demais estradas, que entra em vigor a partir da zero hora, corresponde à inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) dos últimos 12 meses, segundo a Artesp. A nova tabela valerá para as 144 praças de cobrança nos 6,4 mil quilômetros de rodovias sob concessão. A tarifa mais cara, do pedágio no km 32,3 da Rodovia dos Imigrantes, passa a custar R$ 25,20. A de menor custo, nos 13 pedágios do trecho oeste do Rodoanel, vai a R$ 1,90.

O governo do Estado alega que, somente no ano de 2015, a receita dos pedágios permitiu R$ 4,7 bilhões em investimentos em obras, manutenção e operação e destacou que o Estado tem 19 das 20 melhores rodovias do País, segundo pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT). Do total obtido com essa receita, R$ 451,7 milhões ainda foram repassados para 264 prefeituras relativos ao ISS-QN, imposto municipal que incide sobre a tarifa de pedágio. Essa verba pode ser utilizada pelas administrações municipais para investimentos.

Intermunicipal. Já as tarifas do sistema de transporte intermunicipal rodoviário de passageiros terão reajuste de 9,56% a partir da zero hora do dia 7 no Estado de São Paulo. Segundo a Artesp, o índice levou em conta reajustes de insumos como diesel (10,28%) e salários da categoria (9,33%). 

A planilha inclui ainda o aumento nos preços dos ônibus rodoviários. Mas há uma dica sempre válida para os passageiros que viajam com frequência: eles podem comprar bilhetes, pois são válidos por 12 meses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.