Suspeito de roubos a residência na zona sul é preso em SP

Três chilenos foram detidos após sistema digital identificar que veículo furtado usava

O Estado de S.Paulo

08 Setembro 2017 | 15h09

SÃO PAULO - A Polícia Civil prendeu três chilenos por estarem em um veículo roubado em Campo Limpo, na zona sul de São Paulo, por volta das 19h desta quinta-feira. Um deles é suspeito de estar envolvido em roubos e furtos a residências da região. Os outros dois, depois de serem encaminhados à delegacia, foram liberados. 

Uma equipe da Polícia Militar recebeu um alerta, por meio de um sistema digital, chamado de Detecta, de que um veículo Hyundai Tucson prata, que tinha sido roubado no dia 20 de junho, trafegava pela Avenida Carlos Caldeira Filho. As autoridades também tinham a informação de que o carro foi usado em assalto no Butantã no dia 30 de agosto.

O automóvel foi pego na Rua Nelson Brisaac. O suspeito, de 22 anos, dirigia o carro e tinha com ele outro homem, de 21 anos, e uma mulher, de 28. Todos foram conduzidos ao 89º Distrito Policial (Jardim Taboão). Pesquisas identificaram a possibilidade de que o carro esteja envolvido em dois furtos a residências na Rua Argentina, Parque Monte Alegre, em Taboão da Serra, ambos no dia 3 de setembro.

Segundo a polícia, uma das vítimas do furto foi à delegacia e contou que não estava em casa quando o crime aconteceu. A mulher exibiu imagens que mostram três pessoas saírem de um veículo Tucson, invadirem o imóvel e furtarem pertences. Mas as autoridades informam que não é possível verificar a placa nem a fisionomia dos suspeitos. O dono do veículo e as outras vítimas não foram à unidade policial até o fim do registro da ocorrência.

 

Detecta.  Segundo a Secretaria da Segurança Pública, o Detecta, ferramenta de Big Data que integra bancos de dados policiais e de outros órgãos, já possibilitou a prisão em flagrante de 5.579 pessoas e a interceptação de 3.946 veículos envolvidos em crimes de 2014 até o dia 10 de agosto.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.