Andre Penner/AP
Andre Penner/AP

Superlua e eclipse lunar total dão espetáculo neste domingo

Apesar da chuva em São Paulo, muita gente está confirmada para observar o fenômeno a partir do Parque Ibirapuera

André de Oliveira e Mariana Durão, O Estado de S. Paulo

27 Setembro 2015 | 21h25

Atualizado a 0h50

SÃO PAULO E RIO - A lua brilhou mais forte na noite deste domingo, 27. Resultado do fenômeno conhecido por superlua, que acontece quando a aproximação máxima do satélite natural com a Terra ocorre durante a fase de lua cheia, ela brilhava até 30% mais que o normal. Apesar de parcialmente encoberta por nuvens em São Paulo e no Rio, amigos se reuniram para acompanhar o fenômeno.

A superlua ocorre seis vezes ao ano, mas a coincidência com um eclipse total tornou a data ainda mais especial. A combinação dos dois eventos aconteceu pela última vez em 1982 e só se repetirá em 2033. Para os observadores, a emoção foi maior a partir das 23h11, no começo do eclipse. Diferentemente do eclipse do Sol, o fenômeno lunar tem grande faixa de visibilidade e não exigiu cuidados para ser visto.

Apesar da chuva que caía em São Paulo no início da noite deste domingo, muita gente ainda estava animada. Um evento no Facebook tinha mais de 50 mil pessoas confirmadas para observar os fenômenos a partir do lago do Parque Ibirapuera, na zona sul de São Paulo. “Estava em dúvida se ia ao parque ou não, mas depois de olhar algumas previsões do tempo, me animei”, disse o radialista Pedro Azevedo, de 31 anos, que iria ao local com a família.

No Rio, pontos turísticos, como a Lagoa Rodrigo de Freitas, ganharam uma iluminação especial por causa do fenômeno. As amigas Fabiana Martinez, Sabrina Schneider, Flavia Frazão e Paula O’Neil se reuniram para observar a lua e o lugar escolhido foi o bairro da Urca, à beira da Baía de Guanabara.

Mais conteúdo sobre:
superlua eclipse lunar astronomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.