SP testa novo modelo de trólebus, com sensores para evitar ações imprudentes

TRANSPORTE

, O Estado de S.Paulo

12 Abril 2010 | 00h00

A Prefeitura de São Paulo deve iniciar nos próximos dias testes com um novo tipo de trólebus. O modelo tem inovações tecnológicas que devem tornar a viagem do passageiro mais confortável. Entre elas estão sensores que permitem controlar de uma central a velocidade dos veículos e até mesmo se o motorista realizou curvas ou freadas bruscas. A cada manobra imprudente, o veículo emitirá ao motorista um aviso sonoro.

O protótipo foi apresentado à São Paulo Transportes (SPTrans) pela Viação Himalaia, que tem concessão do serviço. Ele levou dois anos para ser desenvolvido e o custo de cada unidade é de R$ 700 mil. Os testes vão durar três meses. Segundo a SPTrans, o contrato com a Himalaia prevê a renovação de 140 unidades. A meta da empresa é colocar em circulação 50 veículos até o fim do ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.