Sorocaba adota rodízio para garantir abastecimento

Sistemas de 25 centros de distribuição da cidade estão sendo desligado durante parte do dia

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

08 Fevereiro 2014 | 12h09

SOROCABA - Sem anunciar oficialmente, a autarquia municipal Serviço Autônomo de Água e Esgotos (SAAE) adotou um sistema de rodízio na distribuição de água aos 593.183 habitantes de Sorocaba. O sistema de bombas dos 25 centros de distribuição espalhados pela cidade está sendo desligado durante parte do dia para a recuperação dos reservatórios.

A medida garante, segundo o SAAE, que todos os bairros sejam abastecidos pelo menos num período do dia ou da noite. Mesmo assim, bairros localizados nas regiões altas chegam a ficar vários dias sem água e a cidade convive com protestos de moradores contra a falta de abastecimento. Nas três últimas semanas, cinco manifestações bloquearam avenidas importantes do sistema viário.

Condomínios de alto padrão, como os da região do Campolim, estão comprando água em caminhões-pipa para abastecer os moradores. A prefeitura atribui a crise à falta de investimentos na distribuição em anos anteriores, já que a Represa de Itupararanga, responsável por 80% do abastecimento, está com bom nível de água.

De acordo com o SAAE, o calor e a falta de chuvas elevaram o consumo acima da capacidade de distribuição. Ainda segundo a autarquia, até o final de março serão concluídas as obras de ampliação em 49% no bombeamento da estação de tratamento de água do Cerrado, a maior da cidade. Além disso, um novo anel vai aumentar a capacidade de distribuição da água tratada.

Mais conteúdo sobre:
racionamento água sorocaba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.