1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Sob forte aparato de segurança, Marcola e mais 3 líderes do PCC são isolados

11 Março 2014 | 15h 06

Helicóptero Águia da PM e viaturas acompanharam o comboio de 42 quilômetros entre penitenciárias no interior paulista

Atualizada às 21h08

SÃO PAULO - O principal líder do Primeiro Comando da Capital (PCC), Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, foi transferido nesta terça-feira, 11, para o Regime Disciplinar Diferenciado (RDD), da Penitenciária de Segurança Máxima de Presidente Bernardes, no interior paulista. Além de Marcola, outros três integrantes da facção também foram para o RDD: Cláudio Barbará da Silva, o Barbará; Célio Marcelo da Silva, o Bin Laden; e Luiz Eduardo Marcondes Machado, o Du Bela Vista.

Os quatro cumprem pena na Penitenciária 2 de Presidente Venceslau. A operação de transferência, por volta das 13 horas, foi cercada por um forte esquema de segurança. Viaturas da PM e o helicóptero Águia acompanharam o comboio da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) nos 42 quilômetros que separam os dois presídios.

Agentes penitenciários, que estão em greve nos dois presídios, auxiliaram na remoção, apesar de as transferências de presos estarem suspensas. "Esse caso não foi transferência comum, foi uma questão de segurança e, por isso, os agentes aceitaram cumpri-la", disse o presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Estado de São Paulo (Sindasp), Daniel Grandolfo.

A internação no RDD, determinada pelo Tribunal de Justiça (TJ) na noite de segunda-feira, 10, e divulgada pelo jornal Folha de S. Paulo, foi solicitada havia 13 dias pela SAP e pela Secretaria da Segurança Pública, após o vazamento de um audacioso plano de fuga para libertar os quatro criminosos da P2. O plano, que previa o uso de dois helicópteros e armamento pesado, foi descoberto por investigadores da SAP e do Ministério Público Estadual (MPE) e revelado pelo Estado.

Por enquanto, os quatro detentos vão cumprir 60 dias de prisão no RDD como medida cautelar, enquanto não se julga o mérito da ação. Os advogados de defesa ainda podem recorrer e novas provas do plano de fuga serão analisadas pelo tribunal. Se na discussão do mérito ficar comprovado que os quatro tiveram culpa e precisam continuar no RDD, a internação poderá chegar a 365 dias.

Durante os 60 dias, os quatro criminosos ficarão isolados em celas individuais por 22 horas e poderão tomar sol, também individualmente, duas horas por dia. Eles também ficam proibidos de receber visitas íntimas e ter acesso a TV, rádio e jornais. Além disso, só poderão conversar com seus advogados por meio de um microfone, separados por um vidro.

Expectativa. Autoridades do MP e da PM disseram que as próximas horas serão decisivas para saber se o PCC retaliará a internação de seus líderes com ataques ou rebeliões. Por isso, a SAP e o Sindasp estão pedindo atenção redobrada aos agentes, tanto na fiscalização das cadeias quanto nos deslocamentos de casa para o trabalho e vice-versa, para se prevenir de possíveis ataques da facção. A PM também está pedindo à corporação mais atenção nas operações e abordagens.

No entanto, investigadores do sistema disseram não acreditar na hipótese de ataques causados pela remoção. "Eles sabem que, se houver retaliação, dentro ou fora do presídio, o período de 60 dias que eles ficarão no RDD poderá se transformar em 365 dias", afirmou um investigador, se referindo à futura discussão do mérito do pedido de internação.

Um promotor criminal ressaltou o fato de que a internação poderá quebrar por algum tempo a cadeia de comando na facção. "Nesse aspecto, o isolamento é benéfico, porque lá onde eles estão não terão como passar novas ordens para seus subordinados. Nem mesmo passar bilhete para advogados conseguirão", destacou.

  • Tags:

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo