Sigilo contribui para crime, diz vítima

Ao contrário de outras cidades, São Paulo não divulga dados sobre criminalidade

, O Estado de S.Paulo

20 Abril 2010 | 00h00

O sigilo dos dados do Infocrim contribuiu para que muita gente fosse roubada e furtada em São Paulo. É o que dizem as vítimas dos ladrões. Elas afirmaram ao Estado que não teriam parado seus carros em ruas arriscadas se soubessem de antemão do perigo. A polícia não divulga os dados que tem sobre crimes nas ruas, nos bairros e nas regiões da cidade. Alega necessidade operacional. Mas, no planejamento de operações, usa apenas dados recentes, embora mantenha também em sigilo informações registradas há meses. Só os dados trimestrais de crimes com os totais da cidade são publicados.

O funcionário público Antônio Rodrigues Leme, de 43 anos, é um dos que reclamam. "Se a polícia divulgasse isso, com certeza não teria parado meu carro numa rua campeã de furtos." Leme se refere à Rua Barão do Bananal, na Pompeia. Foi ali que ele perdeu a Palio Weekend. "Fui com minha mulher a uma choperia e, quando voltei, duas horas depois, não achei mais o carro."

Já na Pedro Pomponazzi, o mesmo ocorreu com o empresário Y., de 32 anos. Ele teve seu Jetta roubado quando foi levar o irmão a um dos prédios da rua. "Vieram dois rapazes armados e me mandaram sair do carro. Até que não acho ali tão perigoso, mas à noite é mais complicado."

Participação. Para o delegado-geral, Domingos Paulo Neto, não haveria problema se informações mais antigas do Infocrim fossem divulgadas. Ao Estado, ele defendeu que uma solução para a população é participar mais das reuniões dos Conselhos Comunitários de Segurança (Consegs) de seus bairros. "Isso seria muito importante." / MARCELO GODOY e RODRIGO BURGARELLI

LÁ TEM...

Minas Gerais

No fim de 2009, o governo do Estado lançou o site geo.defesasocial.mg.gov.br, com todos os homicídios de Belo Horizonte.

Londres, Inglaterra

No site maps.met.police.uk, a polícia mostra quais são os bairros com maior incidência de vários tipos de crime. Há informações detalhadas sobre queda ou alta de casos em cada bairro.

Oakland, Califórna

Com base no banco de dados da polícia, designers criaram o site oakland.crimespotting.org, que permite filtrar a pesquisa de crimes por horário e data

Lista. Veja mais números que o governo não divulga

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.