1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Shopping do Rio abrirá mesmo com 'rolezinho'

Marcelo Gomes - O Estado de S.Paulo

25 Janeiro 2014 | 02h 06

Centro do Leblon diz que, diferentemente do evento anterior, manterá portas abertas, sem reforço da segurança. Marta Suplicy recebe jovens

RIO - Uma semana após ter fechado as portas para evitar um "rolezinho", o Shopping Leblon, na zona sul do Rio, informou ontem que funcionará normalmente neste fim de semana, mesmo com um evento marcado para amanhã. Segundo a direção, não haverá nem reforço da segurança.

Até o início da noite de ontem, quase 700 pessoas haviam confirmado presença no evento marcado para o Leblon no Facebook. No domingo passado, o evento tinha mais de 9 mil confirmações, mas apenas cerca de 50 pessoas compareceram. Com as portas do shopping fechadas, o protesto foi realizado na calçada, com direito a baile funk e churrasco em uma grelha improvisada. A avaliação é de que o quórum amanhã será ainda menor, o que não causará transtornos no shopping.

O secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, voltou a afirmar ontem que não vai montar esquema especial de policiamento preventivo nas imediações do Shopping Leblon por causa do "rolezinho". Beltrame havia dito o mesmo na semana passada. Entretanto, dezenas de policiais militares - muitos à paisana - permaneceram de plantão no local.

"Reitero dizendo que 'rolezinho' não é crime. Vamos manter o policiamento voltado para a praia nos finais de semana. Não vamos agir especificamente em função disso porque entendemos que não é uma ação criminosa", disse o secretário.

Mais uma vez, o "rolezinho" foi convocado pelo perfil Porque Eu Quis no Facebook. Na justificativa, os autores criticam a atitude do shopping de ter ido à Justiça para impedir o evento da semana passada.

A decisão, porém, foi revogada por uma desembargadora que estava de plantão após um pedido do movimento Habeas Corpus, formado por advogados voluntários. Os responsáveis pelo perfil também reclamaram do fato de o policiamento ter sido reforçado, apesar das declarações contrárias.

"Lamentável a postura autoritária, segregacionista e discriminatória do Shopping Leblon de fechar as portas aos cariocas que pretendiam dar um 'rolezinho'. (...) contrariando todas as declarações do governo, de que 'rolezinho' não é crime e de que não enviaria a polícia para uma atuação preventiva, o Rio sitiou o bairro do Leblon de PMs, numa patética tentativa de demonstração de força", diz o convite no Facebook.

Em São Paulo, também não há previsão de fechamento de nenhum centro de compras. Mas há ao menos um "rolezinho" hoje marcado nas redes sociais no Shopping Aricanduva, na zona leste da cidade.

Periferia. Ontem, a ministra da Cultura, Marta Suplicy, recebeu em São Paulo jovens da União dos Núcleos e Associações de Moradores de Heliópolis e Região (Unas). Marta, que faz parte do núcleo de ministros escalados pelo governo para tratar do tema, ouviu reclamação do grupo sobre falta de espaço para os jovens da periferia. Segundo a assessoria de Marta, os jovens falaram que querem sair de seus espaços. /COLABOROU DAIENE CARDOSO

  • Tags: