Shopping Capital é lacrado pela Prefeitura

Empreendimento na Mooca não tem alvará e estava aberto por liminar; outro centro de compras do bairro também deve ser fechado neste mês

ARTUR RODRIGUES, O Estado de S.Paulo

08 Julho 2012 | 03h04

O Shopping Capital, na Mooca, na zona leste, foi lacrado pela Prefeitura não possuir alvará de funcionamento ou Habite-se. Investigado pelo Ministério Público por várias irregularidades, o espaço foi fechado pela quarta vez.

O centro de compras, na Avenida Paes de Barros, estava aberto com base em decisões liminares da Justiça - a última foi cassada em 23 de maio. A Prefeitura afirma que, além das licenças, ele não possui estacionamento ou terceirização do serviço. Para reabrir, todas as pendências devem ser resolvidas.

O empreendimento é um dos citados entre os que podem ter sido beneficiados pelo ex-diretor do Departamento de Aprovação de Edificações (Aprov), Hussain Aref Saab, suspeito de receber propinas. O shopping tem quase o dobro do tamanho autorizado. São 59.433 m² de área construída, com seis andares e 170 lojas. A planta original previa a construção de 31.646 m².

A última vez que o shopping havia sido interditado foi em 2008. A reabertura, no entanto, aconteceu no fim do mesmo ano. A medida contrariou parecer da promotora Mabel Tucunduva, que pedia a demolição do prédio. O procurador-geral Celso Coccaro e o secretário de Negócios Jurídicos daquela época, Ricardo Leme, também afirmaram que o imóvel estava ilegal e pediram a interdição.

O atual secretário especial de Controle Urbano, Orlando de Almeida, chegou a ser investigado sob suspeita de pedir propina durante uma blitz no shopping, quando estava à frente da pasta de Habitação, onde trabalhava Aref. Segundo a denúncia, ele teria pedido R$ 500 mil. Almeida, no entanto, nega a veracidade da denúncia e diz que a investigação foi arquivada. A reportagem não localizou ontem nenhum responsável pelo shopping para comentar o fechamento, determinado no último dia 26.

Fechamento. Na mesma região, o Shopping Mooca foi inaugurado em novembro de 2011, sem alvará nem Habite-se. O local deve ser fechado pela Prefeitura no próximo dia 21.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.