1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Sem-teto ocupam prédio da CDHU contra reintegração de posse

Laura Maia de Castro - O Estado de S. Paulo

02 Junho 2014 | 12h 36

Integrantes da Ocupação Jardim União, no Jardim Varginha, zona sul, saíram em marcha da Avenida Paulista

Atualizado às 17h20

SÃO PAULO - Com dezenas de crianças, integrantes da Ocupação Jardim União, ligada ao movimento Rede de Comunidades do Extremo Sul, ocuparam na tarde desta segunda-feira, 2, o prédio da Companhia Habitacional e Urbano (CDHU). O grupo subiu as escadas do prédio até o 8º andar, onde fica a ouvidoria da empresa, aos gritos de "queremos moradia". Após alguns minutos, voltaram para o saguão, no térreo.

Manifestantes levaram colchões e até fogão para o local. Crianças e idosos deitam apoiados nas parede dos corredores da CDHU, enquanto outros tocam instrumentos e jogam capoeira. Eles dizem: "vamos dormi aqui, se não tiver acordo". O protesto é contra a reintegração de posse prevista para esta semana do terreno da CDHU, ocupado desde outubro do ano passado no Jardim Varginha. 

Funcionários da CDHU busca dialogar com representantes do movimento após a invasão do prédio. De acordo com a assessoria de imprensa no local, o objetivo do diálogo é formar uma comissão para que sejam recebidos pelo presidente da CDHU, José Milton Dallari. Em frente ao imóvel, dezenas de sem-teto continuam participando da manifestação. 

Um dos coordenadores do movimento que não quis se identificar disse que os sem-teto só se sentarão para conversar com o presidente da CDHU caso o ar condicionado do prédio volte a ser ligado e os banheiros sejam abertos novamente. Em assembleia rápida em frente ao prédio, os manifestantes concordaram com a decisão. "Isso é uma humilhação, não é assim que se comporta alguém que quer dialogar", disse o representante. 

A Rua Boa Vista está bloqueada na altura da CDHU e na fachada do prédio os sem-teto esticaram um faixa escrita: "CDHU: Companhia de Despejos e Humilhação Urbana".

Segundo a assessoria de imprensa da CDHU, no terreno ocupado pelos sem-teto, no sul da capital, será construído um empreendimento destinado a famílias que vivem em áreas de mananciais. 

Caminhada. Cerca de 500 pessoas fazem parte do ato, segundo a Polícia Militar. Os organizadores, porém, estimam que haja pelo menos 600 presentes. Eles saíram da Avenida Paulista, na altura do Museu de Arte de São Paulo (Masp) na tarde desta segunda, bloqueando o sentido Consolação da via.  

"Essas famílias já foram despejadas cinco vezes de outro terreno, muitos não têm mais nada. Nós já tínhamos acordado com a CDHU de que essa reintegração não acontecesse até o poder estadual e municipal conseguirem atender essa demanda de habitação", disse Carolina Oliveira, um das coordenadoras da Rede de Comunidades Extremo Sul.

Laura Maia de Castro/Estadão
Protesto é contra a reintegração de posse prevista para esta semana de terreno da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) no Jardim Varginha, na zona sul